Chechênia

O artigo ponderado do Antônio Carlos sobre a tragédia na escola russa é excelente: informativo e com um excelente ponto de vista.

O único comentário a se fazer é sobre a imbecilidade de uma opinião como a de Emir Sader, citado no post do AC. O que se nota é a condenação da atitude de Putin praticamente a priori, enquanto se deixa de lado a questão principal: terroristas invadiram uma escola e fizeram de centenas de crianças reféns. Esse complexo de esquerdistinha do terceiro mundo faz com que, às vezes, consigamos perder a noção do que é certo ou errado. Talvez a ação da repressão tenha sido canalha, provavelmente foi equivocada, certamente foi incompetente — mas não foram eles quem fizeram de crianças reféns.

Não interessa quem é Putin ou o que é o problema checheno. O que interessa é que, ao invadir uma escola, terroristas deixam de ter quaisquer razões que possam alegar, porque deixam de ser humanas. Ultrapassam um limite que não pode ser ultrapassado. Os tais terroristas são monstros, ponto. Não merecem absolutamente nada. E depois que isso for reconhecido, aí, sim, se pode começar a discutir qualquer outra coisa.

Ao reclamar que “as potências ocidentais concentrarão a condenação nos ‘terroristas'”– assim mesmo, entre aspas –, o Emir Sader, homem com história respeitável, se torna um idiota.

7 thoughts on “Chechênia

  1. eu diria que suas considerações são brilhantes; mas são apenas sensatas, claras. Mas o q me impressiona realmente é como o mundo perdeu o referencial do certo/errado, e tudo pode ser politicamente corrigido. Mas em nome da liberdade de expressão, de ação e do caralho, acabou o respeito pela individualidade , ironicamente( ou hipocritamente) justificada pelo proprio respeito a individualidade dos povos! hoje nao pode usar véu na escola, amanha não se poderá falar outra língua alem do ingles??? quem está certo e quem está errado? imagine there´s no country…ih lennon, pelo jeito em breve o grande irmão vai estar te respondendo…

  2. “emir sader torna-se idiota”?!

    agora vc vai dizer que o mar torna-se molhado e que rintintin torna-se cachorro…

  3. É sempre a mesma história. Acontecem barbaridades como essa, e lá vem um querendo “justificar” o ocorrido. Compreender não é perdoar, já diziam os franceses… Nesse caso, nem compreender consigo, tamanha imbecilidade. Quanto ao Sader, sem mais comentários. Ainda bem que consegui deixar esse complexo de esquerdistinha de lado, sem deixar de ser esquerda. Melhor, danem-se a esquerda e a direita. Viva o homem…

  4. O “mal” que se combate com o “mal” nem mais deveria combater pois já foi vencido.Devíamos buscar juntos a satisfação de todos, construir ideais e não querer afirmá-los ou impor os mesmos.Tem sido este nosso erro…Estamos todos no mesmo labirinto,buscando a mesma saída e ao invés de nos juntarmos nos tornamos inimigos uns dos outros.O Oriente não está certo em matar pq um dia “foi morto”,muito menos o Ociente.

Leave a Reply

Your email address will not be published.