O novo sempre vem

Se alguém me perguntar qual a melhor coisa que apareceu na internet nos últimos anos, eu não terei dúvidas: o RSS.

O RSS alia a praticidade da Usenet à liberdade da web. Com isso, posso ler a maior parte do que me interessa offline, e em um só lugar (há uma série de agregadores, dos que rodam direto no browser como o Bloglines aos que rodam no Outlook, como o NewsGator. Eu prefiro um cliente específico e, depois de um tempo usando o NewzCrawler, experimentei o SharpReader e o FeedReader, que além de tudo são gratuitos, e nos últimos dias sosseguei naquele que acho ser o melhor de todos, disparado: o FeedDemon. Para o Mac há o NetNewsWire, e deve haver vários para o Linux, que desconheço — embora, se não me engano, o Evolution aceite feeds RSS).

O RSS é a melhor forma de organizar o catatau de informações que a internet oferece diariamente, e é uma vergonha que o Brasil esteja sendo tão lento em adotar, de maneira generalizada, essa nova tecnologia.

O mais engraçado é que mesmo usando o RSS há relativamente pouco tempo, eu já tenho minhas idiossincrasias. A principal delas é só manter assinaturas de blogs que oferecem feeds completos, em vez daqueles que oferecem apenas os parágrafos iniciais. Não apenas porque isso torna a premissa do RSS irrelevante, já que continuarei a ter que ir ao blog para ler o resto; mas porque é uma das maiores provas de incompreensão dessa tecnologia, pelo menos no que se refere a blogs.

E sim, isso é um recado a todo mundo que oferece apenas trechos em seus feeds, e a quem, podendo, não oferece nenhum.

***

Durante muito tempo fui usuário fiel da Usenet. Ainda hoje é lá que está o maior repositório de informações sobre os Beatles, no rec.music.beatles. No entanto ela tinha um problema: você precisava de um servidor para poder acessá-la, e a maioria era fechada — o Brasil nunca teve um decente, que eu saiba; o do UOL era uma palhaçada que não servia para nada.

Pra acessar a Usenet eu usava o Free Agent, o melhor leitor de newsgroups, na minha opinião.

10 anos se passaram e o RSS tornou a Usenet um tanto redundante; agora tem-se o mesmo mecanismo da coisa, só que distribuído de forma descentralizada.

Mas o Agent não acompanhou a mudança dos tempos. Continua preso ao mesmo velho paradigma (que palavra horrorosa) da Usenet. Podia ter aproveitado o aparecimento de uma nova ruptura na Internet para se revitalizar e ocupar novos nichos de mercado, mas não soube enxergar isso. Prefere se posicionar como leitor usenet e cliente de e-mail, onde nunca vai ser nada.

Depois esse pessoal, que perde o bonde por estar olhando para trás, percebe o que deixou passar e grita que a culpa é da Microsoft.

3 thoughts on “O novo sempre vem

  1. Fala Galvão,

    Também mantenho um interesse que beira a mania por leitores de RSS. Contudo, ao me interesar pelo FeedDemon percebi que ele é pago. É isso mesmo?

    Para ficar nos gratuitos, o FeedREader me pareceu dar conta do recado, embora prefira ainda mais o Bloglines.

    Enfim, era só uma de tirar a dúvida sobre FeedDemon…ou se você teria o “.exe” aí para mandar….

    Outra: Quando vamos fazer uma entrevista tua para o carreirasolo? Quanto terei a honra?

  2. A idéia do RSS é ótima, mas a implementação tem sido uma lástima. Os conversores e os agregadores não falam a mesma língua; é preciso uma paciência de jó para configurá-los “na unha”.

    Apesar das vantagens que você descreveu, Rafa, ainda me divirto ao visitar diretamente os blogs. Lá encontro links, comentários de terceiros etc… e é só navegando pelas páginas da internet que você conhece o que tem de bom, de novo, de interessante. O RSS só serve para aquilo que já se conhece. Por isso, não acho que tenha sido grandes coisas, não.

    Ao meu ver, as novidades mais importantes que surgiram na internet foram o ORKUT e o GMAIL. (Ah, e os novos pacotes genéricos do Java).

  3. Infelizmente, estou deixando de acompanhar como deveria alguns blogs legais, como o Liberal Libertário Libertino, porque não tem feed RSS (o que acho estranho, pensei que o Alexandre era geek também).

    Detalhe: o meu próprio blog tem um feed e eu ainda não coloquei o link no template!

    Como ainda não encontrei um leitor RSS realmente de primeira linha, continuo no Bloglines, via web, e é da lá que acompanho seus posts (o que nem precisava aliás, pois você está postando quase todos os dias, né?)

    Por último, quero agradecer pelo seu comment lá no Velho. Você é meu leitor mais paciente, e sem dúvida o mais ilustre.

    PS: parabéns pela campanha do Marcelo Deda. Ser um dos mais votados do Brasil não é pra qualquer um…

Leave a Reply

Your email address will not be published.