Novamente os espectadores

Comentários interessantes ao post sobre o debate-que-nunca-houve entre o Smart Shade of Blue e o Alexandre Soares Silva.

Mas eu discordo de alguns deles.

Por exemplo, Cabeçorra, não acho que tenha feito proselitismo. Deixa eu explicar. Acho que ninguém precisa apresentar o Soares Silva. Eu, que comecei a ler o sujeito há relativamente pouco tempo, já tinha ouvido falar dele. O ASS é uma das entidades da blogosfera nacional, goste-se ou não dele. Mas nem todo mundo sabe quem é o Smart.

Além disso, “melhor”, pelo menos nesta blogosfera, é sempre uma opinião pessoal. Reclamando que eu não disse que o blog do ASS é também um dos melhores — o que para mim era dispensável –, no fundo você está querendo que eu tenha a mesma opinião que você. Proselitismo é isso.

Não acho que minha opinião nesse aspecto interesse a ninguém. Mas em outros tampouco interessa, e eu dou assim mesmo. Portanto, já que toquei no assunto, vamos lá: acho o ASS um dos melhores escritores que esta geração produziu. Sua imaginação e talento literários são impressionantes. Mas não levo a sério suas opiniões, não vejo consistência nelas — nem acho que ele se proponha a isso — e acho que elas às vezes prejudicam o sujeito. (E estendendo ainda mais a opinião, agora sobre o Wunderblogs, de modo geral todos se sustentam na qualidade literária do ASS, no pioneirismo do grupo e numa certa atitude pretensamente cosmopolita que encontra ecos na dita intelligentzia brasileira, que adora se chamar por esse nome e disfarçar sob uma atitude esnobe uma profunda ignorância teórica.)

Se eu tivesse que escolher um blog, escolheria o Smart, e até onde sei isso é um direito meu. Seu blog é muito, muito bom, e melhora a cada dia. Gosto da variedade temática do blog, gosto da sua solidez intelectual, mesmo quando o sujeito fala de umas coisas que não entendo: quem é Darwin, mesmo? Gosto também de suas opiniões, mesmo que não concorde com todas elas. Mas me parece haver proximidade suficiente com as minhas para que eu não saia correndo.

Roger, eu não pretendia dar uma opinião sobre o debate; preferia aproveitar cá da minha cadeira. Na verdade sequer houve debate, como disse o Soares Silva em um comentário no Alex. Proclamar um vencedor é algo insustentável.

Mas discordo de você. Não acho que em um debate o que mais conte seja o estilo. São os argumentos. Como diria o Carville, it’s the economy, stupid, não é a cara bonitinha do Clinton. Do contrário é só manifestação vã de talento vazio, uma espécie de “eu-sou-melhor-que-você”. Isso eu dispenso porque tenho mais o que fazer.

Há um conceito básico, que nunca deve ser esquecido: forma só existe em função de conteúdo.

Antes de ver o “disclaimer” do ASS, eu achava que seu último post, se você conseguisse descontar o belíssimo estilo King James do rapaz, não fazia parte de um debate propriamente dito, e que com isso perdíamos todos nós. Porque não há debate quando não há argumentos. E esse é o ponto principal. Agora, tudo isso perde todo o sentido. Não há debate. E eu continuo gostando muito do blog do Smart.

12 thoughts on “Novamente os espectadores

  1. Como eu sempre venho prá concordar com o Rafa, achei que devia vir hoje também, porque discordo ligeiramente. Acho que esse episódio se resume ao seguinte: um dos melhores blogs do Brasil, o Smart Shade of Blue, gastou alguns minutos, ou horas, com uma bobagem, com um farrapo tutamélico que não merece nem ser nomeado. Smart já sacou, e já tocou bola prá frente.

  2. Eu simplesmente ignorei o tal “debate”. Pra ser sincera, não gasto meu tempo com pessoas batendo boca pela blogsfera, até porque, cá entre nós, não dá pra levar os Wunderblogs a sério. Que bom que o Smart sacou isso rapidinho…

  3. ô Rafa, tu não podes, nem nuca vais ser, infelizmente, a medida de todos aqueles que viajam pela blogoseira. Bem sei que já devias conhecer os textos, por sinal muito bem escritos, do Mr. Ass. Ocorre que, do jeito que você colocou o post parecia que a inteligência só estava presente em um dos lados da peleja, sacô? Só que a tal, NA MINHA MODESTÍSSIMA OPINIÃO, mostra-se presente, de forma indistinta e equivalente, nos dois cabôcos (desculpe, meu caro e estimado Idelber). Até por isso acusei um certo proselitismo no post, afinal, à primeira vista, causou-me a impressão de que vinha carregado daquele detestável pensamento: só é inteligente quem tem opiniões ao menos parecidas com a nossa.
    Óia, concordo com o Bia, eesa briguinha tava parecendo coisa de donzelo, tentativa de auto-afirmação de adolescente e tal. O lib-eral-ertário-ertino Alexandre colocou um post que inclusive resume bem a questão.

  4. Sou um navegador preguiçoso, mas, hoje, depois do enésimo elogio do Idelber, resolvi levantar de minha cadeira de onde vejo os barquinhos passarem e empreender a navegação. Estou aqui há uma hora e sou obrigado a concordar com ele. Que blog! Acompanho de longe a discussão entre SSoB e os Wunder e repito o que disse no Idelber: é ocioso discutir Olavo. Ele vê o mundo da tal forma que parece mais um problema psicanalítico. Sempre achei que a esquizofrenia explicava a calma de Romário em algumas circunstâncias – ele simplesmente parece ignorar o que está em jogo! -, o mesmo ocorre com Olavo, que reduz qualquer fato a seus próprios parâmetros. Mas… viste como é? Estou falando nele! Grande abraço.

  5. Inteligência há em todos os pontos do espectro político, não tem como negar. Mas nem sempre eu tenho estômago para ler os textos da direita, bem escritos ou não. Minha repulsa às suas idéias fala mais alto. No entanto, eu até curto ler alguns blogs conservadores, como o Alto Volta do David Butter, que é uma metralhadora giratória, não poupa ninguém! Seu blog é inteligente, muito bem feito.

  6. Rafael, não discordo de você, mas, alguém conseguiu ver algum GRANDE conteúdo no debate que “não existiu”? Eu não ví nenhum, logo… Permita-me julgar pelo estilo, a única coisa que foi possível aferir no decorrer do imbroglio em questão.

Leave a Reply

Your email address will not be published.