Os 10 melhores discos da música popular brasileira

Antes tarde do que nunca, aqui vão os meus votos para os melhores discos da MPB na eleição promovida por O Biscoito Fino e a Massa, em ordem descrescente. A lista mudou até o último minuto. E se fosse publicada amanhã, seria bastante diferente:

Caymmi e o Mar
Dorival Caymmi
Toda a música brasileira moderna deriva de Dorival Caymmi e de Noel Rosa. Isso basta.

Chega de Saudade
João Gilberto
Lá fora, música brasileira é bossa nova. Bossa nova é o violão de João Gilberto. João Gilberto apareceu neste disco.

Luiz Gonzaga Canta Seus Sucessos com Zé Dantas
Luiz Gonzaga
Esse é o disco que contém a maior parte dos clássicos de Lui Gonzaga. Isso basta.

Canção do Amor Demais
Elizeth Cardoso
A bossa nova apareceu aqui. Elizeth, Tom e Vinícius.

A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado
Os Mutantes
Até os Mutantes, o rock brasileiro era bobo, na melhor das hipóteses; a banda de Arnaldo Baptista deu ao mesmo tempo consistência musical, leveza anárquica e brasilidade à música. Este disco é tão bom quando o primeiro da banda, mas tem “Chão de Estrelas”, uma interpretação que antecedeu em vários anos Sid Vicious cantando My Way.

Transa
Caetano Veloso
Páreo duro com “Cinema Transcendental”; mas acaba valendo o gosto pessoal.

Chico Buarque (1984)
Chico Buarque
Em plenos anos 80, época da explosão do rock brasileiro, este disco conseguiu a façanha de ter quase todas as suas músicas tocadas no rádio. Mais que isso: forneceu a trilha sonora para um dos momentos mais importantes da história brasileira. Com o perdão do trocadilho, este disco não passou.

Elis Regina
Ninguém tem dúvida de que Elis foi a maior intérprete brasileira. Ela tem que estar em qualquer lista.

Cavalo de Pau
Alveu Valença
Um grande disco de Alceu Valença. Ele demoraria uns 10 anos até fazer outro disco quase tão bom, “7 Desejos”.

O Blésq Blom
Titãs
É a maturidade do rock brasileiro.

10 thoughts on “Os 10 melhores discos da música popular brasileira

  1. Como você oscilei entre CInema Transcendental e Transa, e como você adoro o Chico de 1984, eu acho que como *disco* é o melhor, mesmo que o Chico de 1978 tenha uma coleçao de canções que eu goste mais. Para computar seu voto tenho que saber se “Elis” é voto na legenda, no Elis de 1977 ou no Elis de 1980. Picuinha de contabilização eleitoral judiciosa. Abraços,

  2. Rafael, eu adoro o Transa e também fiquei em dúvida entre ele e o Cinema Transcendental, como o Idelber, mas “Mora na Filosofia” foi o que desempatou. Também adoro esse disco dos Mutantes.. enfim, sua lista tá boa demais…

  3. acho õ blesq blom bem fraco, muito pior que cabeça dinossauro, jesus não tem dentes no país dos banguelas ou mesmo domingo.

  4. Duas certezas que tenho: Elis não entra na minha lista e Secos e Molhados não falta.

  5. Olá! conheces, por acaso, Moacir Santos, luiz Carlos Assis Brasil, Sambalanço Trio, Antonio Adolfo, para não irmos muito longe? há coisas boas na sua lista, mas seu universo esta muito limitado, procure conhecer mais, pois nossa música é muito rica e nossa memória muito pobre.

    Um abraço!

  6. Oi,

    Gostei da lista, no entanto há nela algumas ausências que chamaria de “imperdoáveis”, tais como:

    – “Refazenda”, Gilberto Gil

    – “Tábua De Esmeraldas”, Jorge Ben

    – “Minas”, Milton Nascimento

    – “Elis & Tom”, Elis Regina & Tom Jobim, naturalmente

    Quanto ao Alceu Valença, considero seu melhor trabalho, o fabuloso álbum “Rubi”.

    Abraço,
    cc

  7. Acho que faltou o Roberto Carlos de 1971. Um clássico da música popular brasileira.
    Falta Cartola, falta Roberto Ribeiro, falta Jackson do Pandeiro. Sobrou muito medalhão. Faltou até Tom Jobim.

Leave a Reply

Your email address will not be published.