Satyricon pós-moderno

E mais uma vez uns sujeitos no Japão combinaram pela internet um suicídio coletivo. Dessa vez, 7 bateram as botas.

(Reescrevi o parágrafo acima para não incluir a expressão idiotas. Suicídio é sempre um tema complicado. Com o agravante de, no Japão, ser um traço negativo da cultura do país.)

A idéia de um “flash suicide” não me interessa muito. Mas eu sou um homem de idéias.

Portanto, estou sugerindo aqui o primeiro flash suruba da história.

As pessoas usam a Internet para tantas coisas feias — suicídios, atentados terroristas, sessões de canibalismo –, por que não utilizá-la para algo genuinamente belo? Numa suruba se celebra a vida. E se essa afirmação parece uma forçação de barra, tudo bem, celebra-se a sacanagem. Ainda assim, é melhor cair na sacanagem que abotoar o paletó.

Está na hora da Internet servir para algo mais que simplesmente dar vazão ao que o ser humano tem de mais negativo.

15 thoughts on “Satyricon pós-moderno

  1. Isso me lembra a piada do cara que ligou pro amigo convidando ele e a esposa para uma suruba:

    – Quantas pessoas vão?
    – Com você e sua mulher já são três!

  2. Tô dentro! Tô fora! Tô dentro! Tô fora! Tô dentro! Tô fora! Tô dentro! Tô fora! Tô dentro! Tô fora! Tô dentro! Tô fora! Aaaaaaarrrggghhhh…

  3. Mas isso já acontece, direto.

    ***

    Deviam fazer flash-pizzas: três minutos depois que a Ana Paula Padrão disser boa-noite, todos vamos ligar para a mesma pizzaria e pedir pizza de atum, até eles ficarem sem atum.

    ***

    Bem mais cruel.

  4. Flash suruba? A idéia é excelente. Só espero que não seja muito rapidinha. Já pensaram numa rapidinha coletiva? Que coisa!

  5. Desculpa usar a caixa prá isso, Rafa, mas como todos os blogueiros flamenguistas deixaram o aniversário do Zico passar em branco, eu fiz um post prá ele no Biscoito. O Galinho já tem blog, rapaz!

  6. Suruba virtual? Vai ter lambeção de monitor, baba no teclado e coitado do mouse. Vai ter neguinho olhando para disqueteira e vendo no botão de eject um clitóris, o microfone será a tentação delas (e de alguns deles),… pensando bem… tõ fora, o seguro não deve cobrir este tipo de atentado.

  7. Peraí, perái…agora, nas minhas férias no Rio, eu fui em um motel que tinha internet. Muito útil, embora eles não tivessem computador. Mas eu tinha levado meu laptop, que sou um cara previdente.

    Estranho mesmo é São Paulo, que tem motel com churrasqueira.

Leave a Reply

Your email address will not be published.