Un hypocrite lecteur

Normalmente este blog não publicaria um comentário marcadamente anti-semita, já que considera o anti-semitismo não apenas um caso terminal de burrice atávica, mas um exemplo cabal de canalhice. Anti-semitas são lixo.

Acontece que o comentário do Pablo Daniel Huber a este post é muito curioso:

Cai na real meu, vc não sabe o que tá falando..
Só vou comentar a questão do Pio XII, o que vc queria que ele fizese? Enfretasse Hitler? E desque quando os judeus se importaram com alguém que está sendo massacrado? Por que o papa, que não tem nada a ver com eles, teria que defendê-los? É só porque quando alguém não defende os judeus é mal falado. Cai na real cara, vai estudar mais sobre história antes de ficar falando bobagem. A igreja nunca foi santa, como por exemplo na Idade Média, mas já melhorou muito. Quanto ao conservadorismo do Papa João Paulo II, ele apenas seguiu os príncipios da igreja, que diga-se de passagem embora eu não siga, mas acho que são corretos…..

Hoje foi um dia longo e eu não estou com a mínima paciência para argumentar. Você vai me perdoar por isso, Pablo. Mas tenho umas perguntas a fazer:

1 – O que eu queria que Pio XII fizesse? É, enfrentar Hitler, o que podia ser feito de maneira sutil. Não seria o primeiro nem o único. Mas longe de mim comparar uma reles autoridade papal aos milhões de pessoas comuns que combateram o sujeito.

2 – Eu vou estudar história, sim; mas você promete que estuda também, além de fazer um pequeno curso na Socila?

3 – Por que o Papa teria que defender os judeus? Você está querendo me dizer que judeus não são filhos de Deus? Que Deus não é o Pai de todos?

4 – A Igreja nunca foi santa? Deus do céu, agora tudo é permitido (atenção: essa é uma citação de Dostoiévski em “Os Irmãos Karamazov”. Se você não conhece, vá estudar um pouco de literatura).

5 – Os princípios da Igreja incluem aceitar racismo e genocídios?

6 – Eu ia falar da sua hipocrisia ao não seguir os princípios da Igreja, embora os considere corretos. Mas não, não vale a pena. Em vez disso, vou à missa amanhã rezar por sua alma. Porque tu vai pro inferno, cabra.

Desculpem o tom desaforado do post, mas tive um dia duro e a minha paciência tem o tamanho inversamente proporcional ao meu sono. Amanhã voltamos à fofura normal deste blog, com toda a doçura que mamãe me deu.

22 thoughts on “Un hypocrite lecteur

  1. Amigo Rafel (se me permites, te chamo de amigo):
    Há algum tempo venho apreciando teu blog. Até já pus um link sugerindo-o lá no meu. Tendo a minha formação em Psicopedagogia (mestre) e profundamente interessado pelo comportamento humano, não posso me furtar a uma manifestação diante do comentário do colega Pablo. Sempre dou uma passadinha por aqui a fim de saber o q há de novo e noto q, como eu, tu tb ñ te mantém quieto diante de questões q surgem em nossos dias. Pois estava eu agora há pouco terminando de dar uma varridinha lá no blog quando resolvi dar uma voltinha por aqui; qual ñ foi a minha surpresa quando me deparei com a questão levantado pelo Pablo. Nem tanto pela questão em si mas pelo fato de ter eu acabado naqueles instantes de postar algo tb no mote do semitismo! Neste momento me recordei de Jung e o Inconsciente Coletivo. Quero registrar a minha indignação, como Judeu q sou, pelo eqívoco do colega Pablo(q ao menos mostra ser leitor de teu blog)e toma uma posição passiva(e nada inédita)diante do holocausto e diz sermos nós, filhos de Moisés, insensíveis a um massacre. Ora bem se nota o paradoxo: Quem afinal são os algozes? Nós Judeus ou o líder eclesiástico citado pelo Pablo q, segundo ele, ñ deveria dar a mínima pra um povo literalmente massacrado? Se os judeus ñ se preocupam com o mal estar alheio um líder religioso de abrangência global, ao menos, deveria se coçar…
    Shalom

  2. Não adianta, Rafael, todas as coisas mais estúpidas desse mundo sempre terão simpatizantes; os líderes mais idiotas sempre terão seguidores e a História sempre será interpretada da forma que mais convier. Até com exageros e estapafurdices.

  3. A imbecilidade humana não tem limites.
    O que mais me assusta é saber que Pablito não é excessão. Que há hordas e hordas de gente que diriam exatamente a mesma coisa.

  4. Já falei tantas vezes sobre a esquecida dignidade humana lá no blog, que comentários como este do Pablo me enojam. Não há coisa mais revoltante do que ler “O que vc queria que ele fizesse?” ou “por que teria de defendê-los?”. Que lixo. O velho “preço a ser pago”. Tem tanta gente morrendo por aí, né? Um a mais… uma a menos… Ora bolas (?!)… que estupidez. Aliás, essa forma de aprender história pelo conformismo eu, pelo menos, não quero, obrigado.

    Abraço, tchê!

  5. A imbecilidade humana não tem limites. Mesmo.

    Para comprovar, peço que, assim que a paciência voltar, visite a edição 124 do Simplicíssimo (linque acima) e veja o que está acontecendo na caixa de comentários…

    Se puder ajudar, ajude. Do contrário, peço que fique isento, pois podem sobrar faíscas para seu lado.

    O cara é lunático!

  6. Opa! Andei lendo o que eu mesmo escrevi aí em cima e ficou muito estranho!

    Parece que estou insultando meu xará!

    Ups, deixe explicar: há uns 5 dias um lunático invadiu o Simplicíssimo e não para de encher de desaforos todo e qualquer colunista do site.

    O cara é lunático, não o Galvão! Pelamordedeusedosmeusfilhinhosqueaindaestãopranascer espero que agora tenha me explicado melhor!

  7. Boa Noite Rafael! Bom, quando se levanta pontos tão delicados da história humana, dá no que dá, sempre há pessoas mal informadas que sempre caem em contradições, por exemplo, quando o Pablo diz ter a opinião de que são corretos os príncipios da Igreja, mas achou normal que o papa Pio XII fosse indiferente com os problemas do seu próximo, poxa se ele admite ser isso normal, como ele pode afirmar que acha os principios da Igreja corretos quando o próprio papa nega a maior mensagem da Bíblia, a de que devemos amar o próximo? Francamente…
    Obrigado pela visita lá no Blog, está um pouco desatualizado, é que não estou com pique para bolar temas novos. Você gostou da música? “Autumn Leaves” é uma canção interpretada por Nat King Cole, mas a versão que me agrada mais é por uma cantora chamada Eva Cassidy, vale a pena baixar.
    Boa Noite e até mais…

  8. A Igreja Católica insiste em condenar o aborto, chama-o de “verdadeiro genocídio que mata milhões de vidas por ano” (palavras do ex-papa João Paulo II). Pois bem, é no minímo hipocrisia condenar esse suposto genocídio enquanto praticamente se fez vista grossa ao Holocausto. Isso sem falar nos casos de Ruanda (uma crueldade pouco lembrada)e da Bósnia onde também faltaram uma atuação mais firme da Igreja

  9. Ora, um erro não justifica outro. Se a Igreja fez vista grossa ao Holocausto, isso quer dizer que ela tem que abandonar todos os seus princípios ? Que agora matar é permitido aos seus fiéis ?

  10. Adorei o tom desaforado do post.O cara merece!
    Professor da UERJ???!!!Infelizmente não é só na UERJ que tem professores tão competentes…
    E o anti-semitismo é um exemplo cabal de canalhice, sim!

  11. Caro, Rafael:
    Acho que me entendeste mal. Em nenhum momento no meu comentário dei a entender que sou anti-semita, apenas acho que um papa não deve ser condenado por algo que estava fora de seu alcance. Aguardo sua resposta. Até mais.

Leave a Reply to Reginaldo Siqueira Cancel reply

Your email address will not be published.