Superman

Ano passado falaram tanto de Batman Begins, um filme medíocre beneficiado pela comparação com os filmes anteriores do Homem Morcego; no ano anterior foi a vez de “Homem Aranha 2”, muito melhor.

Nos dois casos, enquanto teciam loas hiperbólicas aos novos filmes, as pessoas esqueceram do que talvez seja o melhor filme de super-herói já feito: Superman.

Para começar, Superman é o filme que deu origem a tudo isso. Já tinha havido tentativas anteriores de transferir o mundo dos quadrinhos para as telas de TV ou do cinema. Mas foi Superman quem criou e definiu o gênero como ele é hoje. Só foi possível, claro, porque antes veio Star Wars; mas pertence, definitivamente, a outra linhagem.

Com Superman, um nicho pseudo-literário criado no século XX — as histórias em quadrinhos de super-herói — finalmente teve um tratamento à altura. O resultado foi um sucesso estrondoso, a consolidação de um gênero cinematográfico e a paixão instantânea por um super-herói que há muito tempo já dava sinais de esgotamento.

O que faz de Superman um filme melhor que praticamente todos os outros que o seguiram é, principalmente, o equilíbrio entre a narrativa dramática e as cenas de ação. Um dos méritos de “Homem-Aranha 2” é a velocidade, a ação constante, o corre-corre. Em Superman há um universo mais amplo. Uma das principais diferenças entre a DC e a Marvel, respectivamente criadoras do Superman e do Homem-Aranha, sempre foi a ênfase desta na vida pessoal de seus heróis. Foi a grande revolução introduzida por Stan Lee. Mas, curiosamente, se em “Homem-Aranha” essa razão é diminuída, no máximo mantida, em Superman o enfoque é aumentado consideravelmente. É algo que jamais se repetiria novamente: o filme é superior aos quadrinhos que lhe deram origem.

Por exemplo, não dá para comparar o elemento romântico de “Homem-Aranha”, Batman Begins e Superman. A vampirinha Kirsten Dunst poderia ser qualquer coisa, menos Mary Jane Watson; Katie Holmes quase faz Bruce Wayne ir para a cadeia por abuso de incapacitado mental. Mas em Superman, na cena em que ele leva Lois Lane literalmente aos céus, há um momento único de lirismo neste tipo de filme.

Em “Homem-Aranha”, em nenhum momento a história de amor entre Peter Parker e Mary Jane convence. É um elemento acessório no filme. Mary Jane poderia ser uma vaquinha malhada e não faria a menor diferença. Mas a história de amor entre Clark Kent e Lois Lane, florescente em Superman e concretizado e perdido em Superman II, é verdadeira e envolvente. É por Lois Lane que Superman faz um mundo voltar atrás. Se isso não é amor, eu não sei o que é.

Mas se nenhum desses argumentos convence, resta um, talvez o mais forte deles: Christopher Reeve. Tobey McGuire é um bom Homem-Aranha, Christian Bale não faz feio como o Batman. Mas Reeve é o modelo a ser seguido, porque mais que atender ao que esperamos de alguém interpretando um super-herói que já conhecemos, como faz McGuire, Christopher Reeve superou essas expectativas. Nos ofereceu algo melhor que o original, e isso é muito, muito raro. Eu, como milhões de crianças nos dois últimos anos da década de 70, queria ser Christopher Reeve.

Quase 30 anos depois, é surpreendente ver como Superman envelheceu bem. Seus efeitos especiais não fazem má figura, o senso de humor (outra vantagem em relação aos quadrinhos) lhe dá uma leveza que o deixou à superfície durante esse tempo. A nova versão que estréia esse ano, por tudo isso, tem um destino inglório pela frente. Estréia depois que Frank Miller destruiu para sempre o Superman ao lhe chamar de escoteiro e cachorrinho do presidente — como um Joseph Nye Welch destroçando Joseph McCarthy diante das câmeras, ao lhe perguntar se não lhe restara nenhuma decência. Ao contrário de Batman Begins, que venceu fácil quatro pequenas tragédias, a nova versão do Superman terá a seu favor apenas a boa verba de marketing de sempre. Porque vai ter que enfrentar o filme definitivo sobre o primeiro super-herói, um filme que se sustenta por seus próprios méritos, e Brandon Routh vai empreender a missão impossível de nos fazer esquecer que Christopher Reeve é o verdadeiro Superman.

19 thoughts on “Superman

  1. Como ia dizendo, fui criancinha há cerca de quinhentos anos e coloquei o comentário no post errado. Tá aqui, ó:
    Desde pequeno (há cerca de 500 anos) sou fã do Superman. Mas quando lembro que ele foi criado com fins de promover a política norte-americana pelo mundo…mas enfim…
    gd ab e ot carnaval

    P.S. Valeu por ter linkado o Arte de Odiar. E tem conto novo lá. Dê uma olhada.

  2. Christopher Reeve sempre será o Superman. E você está certo, aquela cena dele colocando a Lois nos braços e a leva no céu é inesquecivel.

    Eu concordo com você nesse post.

  3. Reeve tinha a dose certa de nerdismo e snobismo para o papel. Realmente insuperável. Tenho certeza que Superman Returns será bombásticamente ruim.

    Mas todos verão, inclusive eu. 🙂

  4. Superman é um gay, odeio o personagem que, irônicamente foi o primeiro que conheci, quando comecei a colecionar quadrinhos, com 6 anos de idade.

    Batman Beggins não foi medíocre. Foi o que os fãs de quadrinhos sempre sonharam em ver.Uma resposta aos filmes de ambientação “infantil” e caricata que foram feitos antes dele.

    O primeiro filme baseado em quadrinhos na verdade foi Flash Gordon, de 1936. Seguido por uma série de 12 episódios feitos para cinema de seu principal concorrente na época, Buck Rogers.

    Existem rumores de um novo remake de Flash Gordon, e seu eu fosse vocês, não perderia V de Vingança, por NADA neste mundo.

    Na minha opinião, a melhor adaptação de super-herói para o cinema é Homem-Aranha. Per-fei-to.

  5. Não acho Batman Begins um filme ruim. Mas poderia sim ser melhor e foi favorecido pelo fato de os outros 4 serem ridículos de tão ruins. Concordo com tudo o que disse sobre o Superman. Corri para comprar a caixa com os DVDs dos primeiros 3 filmes (mesmo o terceiro sendo bem fraco) assim que saiu, pq não vi ainda qualquer adaptação que tenha sido tão perfeita e tão lúdica. Digo mais, o Superman é um grande personagem, de N possibilidades, só precisa de roteiristas que saibam disso nos quadrinhos tb. Alan Moore prefere ele ao Batman e não está de todo errado. Tb, infelizmente, não espero mto do filme que está por vir.

  6. Também acho impossível, pois eu cresci vendo o Reeve encarnar o homem de aço.
    É a mesma coisa que querer substituir charlie chaplin em alguma refilmagem de carlitos…

  7. Também não concordo que Batman Begins seja ruim. O comentário da Gabi me contempla.

    Mas, verdade seja dita, Homem Aranha 2 foi o melhor filme da nova safra. Sim, tem uma ação delirante, mas tem também questionamentos muito pertinentes sobre o que é, afinal, ser um herói. Aquela cena em que o Aranha é carregado pelos passageiros do trem após salvá-los da morte é linda, quase chorei.

    Sobre Superman, bem, não há como negar que é o paradigma a partir do qual todos os filmes de heróis são julgados. O mito do Super-Homem é forte demais, a música do Gilberto Gil captura um pouco do que ele significa pra nós.

    Eu sou otimista e acho que Bryan Singer não abandonou uma franquia de sucesso à toa. Ele buscou um Super-Homem que fosse um decalque de Cristopher Reeve, e sua atitude de respeito em relação ao material original é alvissareira. A idéia de que Super-Homem foi embora e talvez não seja mais necessário no mundo de hoje é uma grande sacada, e reflete algumas coisas que saíram nos quadrinhos recentemente. Até o momento, não há nada que não me faça esperar um filme digno.

  8. Só li agora seu texto… concordo plenamente com vc. Super-herói pra mim é o Superman, e Superman pra mim é o Reeve. Apesar de ser muito fã do Aranha de McGuire – fofo ele.
    Não tenho mais o que dizer, afinal você já disse tudo ao relembrar que o Superman voltou um mundo atrás por causa do amor por Lois. Imbatível.
    Um abraço.

  9. E olha que você não citou Marlon Brando como Jor-El. É tudo muito atual, ainda, o que é um senhor mérito.

    Há um respeito do BS pela história original, tanto que a voz do Brando aparece no trailer e a música continuará sendo a mesma do John Williams. Além disso, o filme é colocado cronologicamente como Superman III, não restando dúvidas do respeito já citado. Não duvido da qualidade do filme que virá, e não acho necessário comparações.

    Quanto ao Batman, ainda sonho com uma adaptação de Cavaleiro das Trevas do Frank Miller com Clint Eastwood no papel principal.

  10. Assisti Superman o filme pela primeira ainda muito criança, devia ter uns 6 a 7 anos de idade e, me lembro como se fosse hoje a maneira como aquele super-herói me tocou, me fez acreditar que era real. Concordo com você plenamente qdo diz que, o mais forte argumento de que a primeira versão de Superman gravada em 1978 realmente é o filme q deu origem a tudo é CHRISTOPHER REEVE que deu vida ao super herói mais famoso das histórias em quadrinhos. Eu, na minha justa inocência passei noites sonhando que Reeve com aqueles lindos olhos azuis viesse me socorrer como fez com Lois Lane. E, se os meninos sonhavam em ser Christopher Reeve, as meninas sonhavam em ser a Lois e sair voando envolta aos braços do homem mais lindo e forte do mundo. Reeve nao foi só um rosto lindo que deu vida ao Superman, ele também soube usar seus méritos e atributos a favor de um personagem que aos olhos do públicos deveria ser imbatível e perfeito… Para finalizar cito a lição de vida deixada por esse astro na vida real, que lutou com todas as suas forças pra superar sua deficiência após aquele terrível acidente que o deixou tetraplegico e, mais, não lutou somente por si próprio como também por todos que sofriam pelo mesmo drama que ele. Na minha opinião, todos os filmes do Superman protagonizados por Christopher Reeve foran o máximo pois, em todos, ele investiu o mesmo vigor, vivenciou a fundo como se realmente fosse um super-herói. É por isso que, na cabeça de todos aqueles que cresceram assistindo Superman o filme é automatico associar Christopher Reeve ao homem de aço. Todavia é, no mínimo impossível Superman o retorno causar tanta emoção quanto o original superman o filme, até porque, o original não envelhece nunca e, Christopher Reeve é o único e insubstituível Superman.

  11. Meu caro Rafael, assino em baixo em relação a quase tudo que vc escreveu, nao posso concordar que Batman Begins seja mediocre, como citou o colega acima, o filme é aquilo que todos nos esperamos a vida toda pra ver, pra ter uma ideai, encontrei quando fui ver o filme, uns dos criticos de cinema mais conceituados aqui da cidade, e quando acabou a sessão, ele APLAUDIU DE PÉ o longa metragem, gesto imitado pela platéia logo depois, vc esqueceu de comentar a direção primorosa de Christopher Nolan, e o elenco magnífico, que tem atores do quilate de Morgam Freeman, Lian Neeson, Gary Oldman, Michael Caine, Ken Watanabe e Rutger Hauer, nao conheço nenhum filme baseado em HQ com um elenco desse nível, é claro que tem a insossa Katie Holmes, mas nao é nada que chegue a comprometer a obra, e é claro, a maioria dos fãns do personagem saiu do cinema com a mesma inpressão que eu, que Christian Bale É BATMAN, tanto quanto Christopher Reeve É SUPERMAN….

  12. (Ao som de Jonh Williams) Quando eu tinha 8 anos imaginava um dia encontrar um Superman que me levasse também para cima das nuvens. Meu modelo de homem sempre foi, consciente e/ou inconscientemente, Christopher Reeve! Você leu meus pensamentos nesse artigo… foi o filme de minha infância, embalou diversos sonhos. Valeu!

  13. Bom, como todos sabem, o Batman já havia sido encarnado p/ Adam West, Michael Keaton, Val Kilmer e George Clooney. Agora, temos Christian Bale. Adam West foi o mais cômico, mas, foi tbm aquele c/ o pior físico e o mais infantil. Michael Keaton foi o primeiro Batman realmente perturbado, mas, era fracote, baixinho e raquítico. O cara tbm não tinha rosto de Bruce Wayne. Val Kilmer foi o primeiro a apresentar um físico decente, mas, o cara era loiro, não tinha queixo quadrado e parecia ter interpretado a si próprio. George Clooney foi o que teve mais cara de Bruce Wayne e um dos mais violentos, mas, a interpretação foi feliz demais. Já Christian Bale foi o mais robusto, o mais atormentado, o primeiro a apresentar atuação e físico decente, juntos. Foi o melhor, mas, não era moreno e faltou o queixo quadrado. Porque p/ Superman os atores são sempre 100% perfeitos e, c/ o Batman, já é diferente? Vá entender… Mas, se uníssemos as características de West, Keaton, Kilmer, Clooney e Bale, teríamos o verdadeiro Batman. Uma boa noite a todos! 🙂

  14. No meu ponto de vista gostei muito de Batman Begins pelo realismo o que entra em choque com os filmes anteriores que para mim é …
    No que diz respeito ao Superman returns, digo, Maravilhoso, uma mega produção. Temos que entender a princípio a visão do diretor (Bryan Singler) mostrar o retorno do Homem-de-Aço ao cinema, desde Chisthover Reeve não temos tido um Superman “Pra Valer”; as escolhas de Brandon Routh (Superman/Clark Kent) e Kevin Spacey (Lex Luthor) foram incríveis, Brandon mostrou o quanto ele é bom, digno de estampar no peito o famoso “S”.
    No próximo longa aguarda-se muita pancadaria, espera-se um inimigo que seja páreo-físico ao Homem-de-Aço, General Zod??? Enquanto isso fiquemos com Smalville…

  15. Bom, Adam West não convenceu nem pelo físico, nem pela atuação, nem pelo figurino (apesar de que verdade seja dita, o Batman interpretado por ele era só uma sátira ou paródia).

    Michael Keaton só convenceu pela atuação e Val Kilmer e George Clooney só convenceram pelo físico (apesar de que Keaton foi uma escolha equivocada e quanto aos outros dois, não pegaram um diretor bom o bastante para o Batman).

    Ou seja: no fim das contas, Bale foi o melhor de todos!

    Na verdade, os outros quatro são todos excelentes e geniais atores de maneira geral, mas como Batman, não convenceram o suficiente…

    A propósito, passem depois em meu principal “fotolog”, relacionado ao material artístico que produzo: http://flogvip.net/alberteeinsteinecia.

    Então, abração e até mais!

Leave a Reply

Your email address will not be published.