De comentários e de desejos sexuais

O João Neto é um caso clássico de alucinado. Lê este blog há alguns anos, mandou muitos e-mails que não foram respondidos e então descobriu que, a depender do conteúdo, seus comentários aqui seriam liberados.

Foi como abrir uma porteira. O João Neto está sempre aqui, comentando. É o tipo de gente que lê um blog apenas para reclamar ou xingar, que transfere para o blogueiro uma eventual relação mal-resolvida com o pai. O João Neto é um fã ao avesso.

Não importa que este blog aqui ande muito meia bomba: ele sempre está por aqui. De vez em quando alguns dos seus comentários são liberados, outras vezes são relegados ao nada.

Mas o último comentário do sujeito merece um post (e eu tenho a impressão de que finalmente atendi a um antigo sonho do sujeito) :

Dois pontos:

1)A classe média de qualquer cidade, estado ou páis é a pior coisa que existe em quaisquer quesitos, então não fique irritado com Sào Paulo.
2) São Paulo é uma cidade maravilhosa e ninguém, de nenhum outro estado do Brasil, tem sequer condição de dar opinião, quanto mais falar mal. A única cidade que importa no Brasil é São Paulo o resto é resto. Fique nesta sua cidade porcaria, com sua qualidade de vida bucólica e não venha aqui. Pare de criticar quem é melhor que vocês em tudo. Aquela estória: “Se o baiano gosta tanta da Bahia, porque não fica lá?”, vale pra você também!

É curioso como em poucas linhas o João Neto consegue falar tanta coisa: “a única cidade que importa no Brasil”, “sua cidade porcaria”, “não venha aqui”, “melhor que vocês em tudo”.

O João é burro mas não sabe, ou se recusa a admitir. E sem querer, justificou para sempre a minha política de moderação de comentários.

***

Outro comentário que chama a atenção é o do Cayo:

Descubri seu site buscando informações na Net sobre a nova reforma ortográfica, e tenho de confessar uma coisa que não tem nada a ver com o assunto: a foto nela estampada é de deixar qualquer podólatra (como eu) louco. Só para constar…

É extremamente agradável saber que meus membros inferiores fazem o mesmo sucesso que os superiores. Ou melhor, seria. Porque a foto daí de cima não é minha: foi arranjada às pressas nas internet. Veio bem a calhar porque meus pés são feios que doem, e só servem para andar, dar topada, chutar gato e doer no fim do dia.

Mas como seria bom ser um símbolo sexual para alguém. Me sinto como a mulher feia que, diante de um elogio educado ouvido de um desconhecido cortês na rua, fica horas no espelho admirando a sua beleza recém-descoberta, percebendo-se finalmente uma Ana Hickman. Elogios: quanto mais imerecidos, mais agradáveis.

Por isso é com pesar que me vejo forçado a abdicar dos meus sonhos de símbolo sexual de pé, e a dizer ao Cayo que não, que os pés que tanto chamaram a sua atenção não são os meus, que os delírios eróticos devem ser direcionados a um sujeito desconhecido. E digo isso com tristeza e com pesar; colocando um véu sobre o espelho, porque sei que ele nunca mais vai dizer que eu sou bonito como a Ana Hickman.

12 thoughts on “De comentários e de desejos sexuais

  1. Rafael:

    A sua réplica só mostra que você é um fascista; como é normal em gente da sua linhagem partidária. Se eu o tivesse chamado de burro você não publicaria meu comentário. O onipotente com seu blog idiota. Você não tem é inteligência para debater com quem contraria sua opinião de gente superficial e mentecapta. Seu blog só tem comentários de puxa sacos.

  2. João Neto,

    Eu adoro ser chamado de fascista. Amo, mesmo, provavelmente porque é o adjetivo preferido de 11 entre 10 idiotas. Mas é você quem demonstra xenofobia paulistana típica das “camadas menos esclarecidas”.

    E eu publico comentários de gente me chamado de burro, sim. Só que tem que ser de gente mais inteligente que eu. Tem que saber xingar com um tiquinho de classe, coisa de que você é incapaz.

    A propósito, em outro comentário você perguntou se eu tenho carteirinha de “looser”. Poxa. Se quer me xingar em inglês, me xinga certo. Não tem nada mais feio que xingar em língua que não domina e cometer um erro bobo como esse. Pega mal. Nego assim passa atestado de ignorância arrogante.

  3. Obrigado Rafael!

    Meu objetivo foi atingido. Eu sabia que você era fluente em inglês e nâo deixaria passar o erro; nem o desafio ao burro.

  4. Rafael,

    já que ambos adotamos um tom confessional (o que de certa forma é um tanto perigoso, afinal até de tarado me chamaram) tenho de dizer que não me importa que seus pés não sejam como aqueles que me encantaram. Depois daquilo que você escreveu, pode tirar do espelho o véu que o encobre. A partir de hoje, para horror de alguns e ira de um certo João, você é meu “símbolo sexual de pé”. Um abraço.

  5. AAAAAAAA Rafa, eu não tenho paciência de ler o que esse xarope do João Neto escreve.
    Vê se não publica mais os comentários dele, tá?
    Beijos

Leave a Reply

Your email address will not be published.