Meu presidente

Foi em Lula que votei pela primeira vez, e até hoje não votei em nenhum outro candidato a presidente.

Em 1989 — provavelmente 8 de novembro, mas não tenho certeza da data — nós que fazíamos a UJS puxamos uma das maiores passeatas de estudantes que Aracaju já viu — e o comício foi obrigado a parar para anunciar aos outros participantes que havíamos chegado, tamanha a barulheira que fizemos. Em 1989 eu pintei bandeiras, fiz caminhadas, panfletagens, boca de urna. Perdemos aquela eleição, infelizmente; e nós, que queríamos um novo Brasil, acabamos tendo que engolir um Brasil Novo.

Mas em 2002 nós conseguimos.

Ao longo dos últimos seis anos, assisti à oposição fazer de tudo para desacreditar o presidente que eles não conseguiram derrubar. Disseram que ele traiu seu projeto social — e ele criou o Bolsa Família e os programas de inclusão produtiva. Chamaram-no de bêbado — e a sobriedade com que conduziu o país impressionou a todos. Chamaram-no de despreparado — e com ele o Brasil passou a ter uma proeminência internacional que está matando Fernando Henrique Cardoso de inveja e despeito, aos pouquinhos. Chamaram-no de analfabeto — e ele criou o ProUni. Vi gente esculhambando cada área do governo de Lula: a economia, as políticas sociais, a política externa. E no entanto, nesses mesmos seis anos, o Brasil que eles nunca quiseram ver ou entender emergiu e iniciou um processo de consolidação. Queiram ou não os apóstolos do mercado que neste exato momento desaba, Lula criou um país melhor, mais sólido e, principalmente, mais justo.

Lula venceu. E a oposição jamais vai conseguir admitir que, do pedestal de sua arrogância, de sua escolaridade, perdeu para um pau-de-arara de Garanhuns, que mostrou que não era ela a mais preparada para dirigir um país do tamanho do Brasil. E por não entender isso, por discordar do projeto de país encabeçado por Lula, essa oposição se perdeu completamente, pregou o golpe às vésperas da eleição, apostou na mentira e no engodo, se recusou a admitir que o país estava melhorando.

Em fevereiro deste ano, nos fundos de um palanque onde o governador Marcelo Déda mostrava mais uma vez por que é um dos maiores, senão o maior, orador que eu já vi, e em que Lula inaugurava um viaduto em Aracaju e mandava o Judiciário meter o nariz em seus próprios assuntos, eu aproveitava para tirar fotos do presidente.

(Espaço para um pequeno parêntesis: quem acompanha um pouco da política nacional já deve ter prestado atenção em um prenúncio de crise institucional que está se formando, com o Judiciário e do Ministério Público ocupando gradativamente espaços que não lhe deveriam ser permitidos, aproveitando um vácuo deixado pelo Legislativo. A imprensa apóia, incentivada pela classe média, e sabe Deus qual será o resultado disso.)

Mas este post, na verdade, não tem muito a ver com tudo isso que eu disse até agora; e eu só disse por desabafo, por estar cansado. Tem a ver com uma posição tomada que, mais uma vez, me deu orgulho do presidente que tenho, em quem votei e de cujo projeto indiretamente faço parte. Lula foi o primeiro presidente a dizer que é a favor da união civil de homossexuais, e a Igreja que se vire com isso.

Eu tenho orgulho de ter um presidente como Lula.

49 thoughts on “Meu presidente

  1. Galvão:

    Essa é a prova que pessoas, obviamente inteligentes, podem ser enganadas por um longo tempo; que é o seu caso.

  2. Rafael, não sou fã do presidente, mas tenho que admitir que o seu texto é muito coerente. Contudo, eu penso que sim, temos bons resultados há 6 anos, mas parte disso só foi possível a partir das reformas iniciadas pela política econômica do governo FHC/Malan. É lógico que a presidência atual foi madura o suficiente para ser responsável economicamente, mas o sucesso não saiu do zero. Parte importante disso se deve ao seu antecessor.
    Torço pelo Brasil, ao final disso tudo.

  3. Essa entrevista inteira sobre a união civil dos homossexuais e sobre o aborto é realmente surpreendente. Há que tirar-se o chapéu para o Lula. Triste é ver a caixa de comentários da matéria no site d’O Globo… Nosso país é retrógrado demais. Sem querer parecer adepto de teorias de conspiração, talvez tenha sido por isso mesmo que O Globo publicou a entrevista. Para jogar a nossa classe mérdia, favorável ao aborto e ao imperialismo da Igreja (única explicação para a proibição da união homossexual), contra o governo.

    Aliás, parabéns pela postura aberta.

  4. Em 89 eu também estava lá, também na UJS, subi no palanque com ele, aqui em vitória, fiz o mais importante ultimo discurso da minha vida, (poucos meses depois deixei o movimento estudantil).

    Querido, meus olhos marejaram ao ler esse seu texto, belas verdades, ditas com mais beleza ainda.

    Mas temos o Dantas, e a canalhice nacional, que vai do cara que joga lixo pela janela do carro ao vergonhoso Gilmar Mendes, ainda não sei se o Lula tem a força ou a vontade para lutar nessa arena, talvez a Dilma, vamos ver.

  5. Ok! Muito bom ele falar que é a favor da união civil entre homosexuais. É louvável que ele se dispa de seu preconceito, porém isso é, ao meu ver, o que qualquer cidadão do mundo com o mínimo de consciência deveria fazer. Isso não muda o fato de que é uma declaração apenas e que em sua entrevista deixou bem claro que não vai fazer nada para mudar a atual situação dos gays do nosso país. Uma declaração de senso comum não justifica tamanha homenagem.

  6. Ah, você me decepciona. Mas concordo com o pessoal, o texto é coerente mesmo, mais coerente que discurso do Lula. Nunca imaginei que você fosse um militante de esquerda.

  7. Sabe, eu não sou militante. Votei no Lula porque não vi opção melhor. O que tenho a dizer então, é que tenho muita tranquilidade, em quase todo o tempo, da sensatez da minha escolha.

    E me sinto muito confortada com essa declaração. Quem conhece a força do simbólico sabe que esse é um primeiro passo e tanto.

    E ótimo texto!

  8. O Brasil talvez não faça (ainda) idéia da importância destes anos todos de governo Lula. Só o futuro irá nos mostrar a dimensão de seu mandato. Já sinto saudades desta era.

  9. estou muito desconfortável com a opinião aqui vigente, pois ela se parece muito confortável a si mesma. o crepúsculo dos ídolos nunca termina.

    (pode ser importante: votei no lula)

  10. Votei duas vezes no Lula, e não me arrependo. Tivesse idade à época, para votar, votaria no FHC e também não teria me arrempendido. Na próxima eleição, pretendo votar em alguém da atual oposição, se arranjarem um candidato bom. Gostei muito dos dois governos do Lula, acho que foi muito bom para equilibrar o poder e trazer um preocupação social ao governo. Trouxe também muito corporativismo, estatização (que considero nociva) e lobby, mas nenhum governo é perfeito. Na pior das hipóteses, a era Lula valeu para ventilar o poder, trazer uma nova imagem externa do Brazi e privilegiar a alternância de poder nesse país de elites quase eternas.

    Agora, eu confesso que um preconceito que eu tinha se esvaiu. O pau de arara de Garunhuns é muito mais moderno, sábio, tolerante e cosmopolita que o filho da classe média alta do Rio de Janeiro, que gosta de espancar mulheres na rua. Em todos esses anos de governo, não me arrependi do voto, mas pela primeira vez me sinto profundamente orgulhoso. Como eu gostaria de dizer a ele mesmo: “Parabéns, presidente!”

    Até!

  11. Tem só uma coisa que o texto naõ deixa claro. Ok, devemos temer o Judiciário e o Ministério Público. Mas se isso é porque o Legislativo não opera, e este está nas mãos do Lula, e este é composto pelas mesmas figuras nefastas que até 2002 aprendemos a denunciar por fazer parte dos arrogantes anti-PT, quem será o culpado pela crise que viria?

  12. grande post Galvão, grande até na expectativa de que as pessoas não só leiam, mas que pensem no que lêem e que não sigam repetindo palavras como se fossem papagaios(por alguns comentários daqui, realmente não são papagaios, são tucanos), provavelmente um dia leremos sobre a história e não a estória de em que estado o FHC entregou o país, provavelmente alguém se atenha um dia que a crise mundial atual é a crise dos mesmos que fizeram o Brasil engatinhar nas suas cartilhas privacionistas, talvez alguém lembre que quando o governo tomou a decisão de pagar o que devia ao clube de Paris e ao FMI uma grande quantidade de economistas dizia que era um erro, mas foi exatamente neste momento que nos livramos da cartilha dessa gente que privatiza o lucro e socializa o prejuizo!
    abração!

  13. O Rômulo antecipou uma idéia que vou desenvolver em texto futuro: Lula tornou-se ídolo, no sentido estrito do termo.

    Só digo que defender Lula, PT ou quem o cerca é imoral, (no mínimo) depois do que aconteceu em jan.2002 aqui em Santo André.

  14. Tô contigo e com o NOSSO Presidente…

    Hoje conheci o teu blog.Adoreeeei!
    Não é porque o Pres.Lula não tem bunda que apóia os homo,é porque ele é O HOMI !!!!!
    Abraço do sul

  15. Eu votei em FHC. É o único voto do qual eu me arrependo de ter dado a alguém. Mas serviu para alguma coisa: mostrou que eu estava errado e que algumas pessoas com as quais eu debatia estavam cobertas de razão. Me fez perceber meus preconceitos – que eu me enganava pensando que era opinião – e procurar me informar. Foi a forcinha que precisava para me colocar em movimento definitivo para a esquerda. Hoje eu sou militante do PCdoB, veja só!
    Pena ver que ainda há os arrogantes a se esconderem atrás de seus preconceitos anacrônicos, repetindo aquela mesma conversinha fiada – que um dia foi minha também – desde 1989. E eu acho graça de quem fala de “sementes plantadas por FHC”. Só se foram de vento, para colher vocês sabem o quê. Depois vão dizer que o brasileiro tem memória curta.

    Mas… apesar de ter gostado das declarações do Lula, eu não fiquei orgulhoso por um motivo só: ele ter nomeado para o Supremo o sr. Direito, o juiz da direita católica (e que pede “vistas” para interromper todos os julgamentos que contraria seus dógmas). Enquanto ele estiver por lá, continuará sendo um obstáculo a toda causa pelo união civil de homossexuais, pelo tratamento do aborto como questão de saúde pública e pelo Estado laico como um todo.

    Abraços.

  16. Paz e bem!

    Rafael:

    Teu primeiro parágrafo
    me levou a 2006:
    Na hora de votar
    fiquei emocionado
    pois sabia que,
    provavelmente,
    esta era a última vez
    que eu votava
    em Lula – Presidente.

    Como tu,
    eu também
    até hoje só votei
    pra Presidente em Lula.

  17. Elton
    “Gostei muito dos dois governos do Lula, acho que foi muito bom para equilibrar o poder e trazer um preocupação social ao governo. Trouxe também muito corporativismo, estatização (que considero nociva) e lobby, mas nenhum governo é perfeito.”

    Se fosse nociva mesmo, os EUA não injetariam bilhões de dólares (alguns especialistas estimam que será necessário entre 1 e 2 trilhões de dólares para salvar a economia dos EUA – New York Times) para salvar bancos que fraldaram a aposentadoria de trabalhadores. Nocivo é privatizar lucros e estatizar prejuízos.
    O curioso é que arautos do neoliberalismo, como as Organizações Globo, sempre batem a porta do governo com o pires na mão após uma operação mal sucedida.

  18. Joguem no google “dalmo dallari” + “gilmar mendes” e leiam a profecia do brilhante professor da Faculdade do Largo de São Francisco sobre o mentes…

  19. Gostei muito do texto. Tb votei sempre nele e vejo uma grande administração.
    “Chamaram-no de despreparado — e com o ele o Brasil passou a ter uma proeminência internacional que está matando Fernando Henrique Cardoso de inveja e despeito, aos pouquinhos.”
    Perfeito.

  20. Nosso presidente. O melhor que o Brasil já teve.
    O teu texto faz justiça a cada linha.

  21. Lula pegou o Brasil falido que FHC deixou. Dívida externa elevada, país no FMI, inflação saindo de controle… e ainda tem gente que tem coragem de dizer que Lula manteve a política econômica de seu antecessor?

  22. Pra quem gosta do Lula e o acha a oitava maravilha, eu aconselho a leitura de um livrinho “A Revolução dos Bichos” do George Orwel. O Lula está lá com toda a tropa do PT. Leia o livro até o final e veja o que acontece com o cavalo; ele representa o trabalhador e eleitor. Veja como eles torcem as regras (leia-se constituição) para se perpetuar no poder. Nada como uma analogia poética para clarear as idéias.

    Eu sei que o Galvão via ficar bravo, mas poderia ser pior. Eu poderia ter indicado “O País dos Petralhas” do Reinaldo Azevedo. Esse eu não li, portanto, estão salvos.

  23. Eu sou um liberal moderado, mas votei no lula em 2002 porque PSDB não dava. Sério, não dava mesmo. Não é por acaso que lula tem 70% deaprovação da população. Eu aprovo-o também.

    Mas este ano votarei no Gabeira que é PV/Psdb aqui no Rio. Não que tenha muito a ver, mas foi só pra por aqui uma frase que minha amiga ouviu de um taxista:

    “Vou votar no Gabeira. Ele é viado e maconheiro mas é o único que presta!”

    HAHAHAHAHAHAHAHHA

  24. Todos temos.
    Também sempre votei em Lula, desde 89, em minha primeira eleição, aos 16 anos, no famosos Lula Lá. Foi emocionante a campanha, até mesmo o deslavamento com as calúnias que acabaram por derrotá-lo àquela época. De lá para cá, sempre votei nele, e em muitos petistas, como Gushiken para Deputado, Suplicy para Senador, e poraí vai. O PT da minha cidade é que não é, nunca foi aquelas coisas, mas ….
    No fim das contas, o PT, mesmo, tbm não é lá aquelas coisas. Seus quadros, a maioria, ótimos. Já o partido ….
    Minha primeira eleição para Presidente deu-se simultâneamente com a primeira também de minha mãe, dado os anos de chumbo anteriores. A campanha para as Diretas, a eleição de Montoro para Governador de São Paulo, quando o PMDB era ainda um partido e tanto, antes de Quércia e Cia.
    Vai-se 20 anos e o Brasil amadurece pelas mãos de Lula, uma ironia e tanto para um país elitista como só o nosso, com mentes tacanhas aos borbotões. Graças a Deus que os da banda de cá são também numerosos, e muito, mas muito mais brilhantes, haja visto o dono deste espaço, em comparação aos de mesmo “ofício” dos da banda de lá, os ditos “anaeróbicos … “. No fim das contas, somos é de muita sorte, apesar de tudo.
    Ave Lula.

  25. Definitivamente não sei absolutamente nada de política ou coisa do gênero. Mas depois de ler esse texto não me contive e aqui estou. Quanto aos elogios ao “nosso querido presidente”. “Nosso” quem, cara pálida? Por favor não me façam sócio do problema de vocês. “Nosso querido presidente” é sim um verdadeiro ode a ignorância. Um cara que já declarou abertamenteque não gosta de ler num país de mais de 10% de analfabetos e onde nos confins do país, crianças não tem como, ao menos irem à escola é um pouco de BURRICE DEMAIS para o meu gosto.
    Como disse a pessoa Adrina (pode ser Adriana com erro de digitação, tudo bem) a melhora da economia brasileira não começou com o “nosso querido presidente”, isso vem de antes, (FHC/Malan), sim, acreditem ou não, o “nosso querido presidente” segue exatamente a agenda do governo FHC, com a vantagem do cenário mundial estar favorável ao “crescimento”, até a semana passada. Portanto, o único merecimento do SEU querido presidente, é ter dado continuidade ao que já estava em vigor.
    O SEU querido presidente é o homem forte de uma nação, o chefe de estado de um país, o representante máximo de 190 milhões de pessoas, e todos nós vimos as mazelas dos companheiros do famigerado e mentiroso Partido dos Trabalhadores. Só o SEU querido presidente não as percebeu. Numa representação brilhante de um Zé Mané traído, aquele mesmo, o último a saber, que se disse surpreso e enganado e que estava disposto a “corta na própria carne” e provar que seu mandato era justo. Para quem não sabe José Dirceu, Genuíno e tantos outros continuam no mesmo lugar. Portanto, caro companheiro do SEU querido presidente, não me venha com esse discurso protecionista e defensor dos “frascos e comprimidos” por que você sabe muito bem (ou deveria saber) que esse sujeito de barba que nos representa não oferece nada mais do que facilidades em troca de felicidade, ou seja, vote em mim e você não precisará trabalhar, te dou o Bolsa Família, Bolsa Escola, Bolsa sei-lá-o-que, numa demonstração clara de um governo assistencialista e, com o que é pior, o consentimento de um povo que acha muito mais fácil ganhar 15 reais por filho gerado (controle de natalidade você sabe o que significa, certo?), do que aprender um ofício de fato e ter uma vida digna. Asim como eu ou como você que trabalha 8, 9 horas por dia pagando impostos para que esses coronéis do sertão fiquem com 25, 20 reais para dar para cada um dos seus 24 filhos.
    Só para finalizar e te deixar em paz para me xingar. No começo do seu texto, você descreveu um dos fatos mais importantes dos últimos 20 anos da história desse país. As passeatas e comícios para um Novo Brasil. Aquela história de Lula-lá, lembra? Fora Collor, fora FMI e toda aquela lenga-lenga toda. Duas coisas a respeito disso. A maioria das pessoas nessas passeatas não sabiam o que faziam naquele lugar, elas queriam tomar cerveja e matar aula nas universidades. Acredite em mim. Outra coisa, Cara-Pintada para mim é palhaço.
    Abraços.
    Márcio Rothstein Bacha
    marciorbacha@gmail.com

  26. Só uma observação ao comentario do hermenauta (14):
    Se por um lado ele não tem bunda ( aliás, em SBC o apelido do Lula era tanajura), por outro lado, ou do outro lado como queiram, ele tem ‘culhão’. Por isso, também, ele pode ser favorável aos homossexuas eh eh eh.

  27. Ai, vim aqui porque uma leitora minha, que também é leitora sua, Rafael, avisou que meu troll de estimação, Santiago, anda colocando os mesmos comentários no meu e no seu blog. Aliás, um breve relato de como conheci meu troll: deixei uma mensagem aqui, no seu texto sobre crítica de cinema, e Santiago me enviou um recado do tipo “Cuidado com esse blog do Rafael! Ele é petista! Destrata os que não concordam com ele” etc. Eu respondi que, se é petista quem vota no PT, eu também sou, e sabia me cuidar. Desde então o troll tem aparecido no meu blog com frequência, geralmente pra chamar todos meus leitores (e eu) de burros, ignorantes, estúpidos… O carinha é um pé no saco e não se dá conta que ninguém o leva a sério. Hoje em dia ele deve estar fazendo com meus leitores novos o mesmo que faz com os seus: “Cuidado com esse blog da Lola! Ela é petista! etc”.
    Eu só ia falar isso. Mas aí li o seu post e fiquei toda nostálgica, porque eu também batalhei um monte em 89 pra que o Lula fosse eleito. Aí eu leio esse comentário do Marcio aí em cima e quase começo a espumar. Eu estava nas passeatas pró-impeachment, e o pessoal sabia muito bem o que tava fazendo. Antes disso, estive na maior parte dos comícios e passeatas pró-Lula em SP (e lembro que viajei até o Rio só pra ver Lula e Brizola no mesmo palanque, na Candelária). Antes, participei nas manifestações das Diretas Já, quando eu só tinha 16 anos. Por que as pessoas da direita se ofendem tanto que a gente possa se engajar numa causa política? Deve ser porque a única coisa que os move é o ódio à esquerda.
    http://www.escrevalolaescreva.blogspot.com

  28. eu acho, (acho), q o lance dos caras-pintadas, em parte contribuiu para o impeachment, de Collor, pq em minha modesta opinião, mesmo, quem derrubou Collor foi o prato em que ele cuspiu depois de elleito
    Já o nosso amigo aí … bem …. anaeróbico né, é a alcunha “inventada” por Hermê? Ou to enganado?
    😉
    Abrasssss

  29. Legal teu texto…. sempre votei no Lula, me frusto às vezes com os petistas, mas o Lula está acima dos demais… tenho certeza que em alguns anos os brasileiros vão se lembrar de 3 presidentes: Getúlio, JK e Lula… o resto é complemento….

  30. Santiago,

    Pelamordedeus, não compara o maravilhoso e libertário (e socialista democrata) George Orwell com aquela bolha de pus fascista chamada Reinaldo Azevedo. Isso é pecado.

    Se você tivesse comparado as alterações dos escritos na parede de “A Revolução dos Bichos” com a mudança entre o que o PT dizia em 1989 e o que veio a praticar depois eu até poderia achar que você fez uma comparação pertinente, mesmo discordando do juízo de valor que possa se fazer disso. Mas falar em alteração da constituição para se perpetuar no poder… tá alucinando, colega?

  31. senhor presidente,o senhor,talves,nao saiba o que esta a contecendo,en,nosso,pais,eu,sei que,para,osenhor, e,muinto,o,espasso,de tempoe,limite,mais,o inss.nao,e nada,da quilo,que,o senhor,esteja,pensando.as pesoas,nao,estao,nen,ai,para,oque o senhor,esta,falando.mais,essaa,pessoas,nao,somos.nos,sidadons,sao,pessoas,do seu,prorio,governo.porque,quando,chegamos,no,inss,temos,que,aquardar,as,atendente,ir,ao,banheiro,isso,logo,a ora que elas chegan,e depos.mais,alguns minutos,para,tomar,cafe,que,isso,leva,uns,45,minutos.eu,determinadamente,levei,dos mezes,para,reseber,o,resultado,da,minha,aposentadoria,im,felis,mente,negativa,por,mau,vontade,em rever,os caucolo,correto.

  32. “(Espaço para um pequeno parêntesis: quem acompanha um pouco da política nacional já deve ter prestado atenção em um prenúncio de crise institucional que está se formando, com o Judiciário e do Ministério Público ocupando gradativamente espaços que não lhe deveriam ser permitidos, aproveitando um vácuo deixado pelo Legislativo. A imprensa apóia, incentivada pela classe média, e sabe Deus qual será o resultado disso.)”

    Pois é. Deu no que deu.

Leave a Reply

Your email address will not be published.