9 de dezembro de 1980

O dia seguinte ao assassinato de Lennon foi diferente dos tantos outros domingos do verão de 1980/1981. 32 anos depois e ainda lembro dele como um dia escuro, o que quer dizer que deve ter chovido em Salvador; ao menos nublado. A TV exibiu o Let it Be — acho que a única vez em que esse filme chatíssimo foi exibido na TV brasileira. Alguém foi lá para casa, e lembro de entreouvir sem nenhum interesse conversas estupefatas e tristes sobre Lennon. É essa a sensação que ficou desse dia: não era a morte de um parente, de um amigo próximo, mas era a morte de alguém que de alguma forma tinha sido importante e querido. Era tudo tão inesperado, todo mundo estava realmente chocado com aquilo.

Menos eu. Eu estava de saco cheio. Eu queria era ver desenho.

3 thoughts on “9 de dezembro de 1980

  1. Com 21 anos, eu estava na turma dos chocados. A violência sempre me chocou e Lennon era paz e amor, bicho. Nestes últimos 32 anos os chapmans da vida se multiplicaram e tenho a impressão de que vencerão a batalha.

  2. dos beatles pós-beatles, lennon muito provavelmente era o mais chato. eu acho que até ringo era menos estrelinha do que ele (não que ele pudesse exigir ser tratado como grã-coisa, mas…).

  3. Falei com eles, gravei alguns comentários. De fato, eu me lembro de uma mulher que estava rodeada por um grupo que cantava Give Peace a Chance. Ela me disse que a morte de Lennon significava um duro golpe para ela. Um chute no estômago, nas suas palavras.

Leave a Reply

Your email address will not be published.