Atavismo

Acabei de achar uma tese de doutorado que cita uma carta, de 1879, em que a Condessa de Barral conta os progressos do meu trisavô ao avô dele. “A carta é destinada a um amigo da Província de Sergipe, no norte do Brasil, e trata do ‘jovem V. Galvão’, que, sob os cuidados da escrevente, estuda em um internato francês”

Considerando que a Condessa de Barral era amante de D. Pedro II, e levando-se em consideração a proximidade dela com o jovem Valois Galvão, a conclusão é lógica e esperada, quase óbvia para quem conhece a história passada, e graças a Deus superada e esquecida, dessa família: esses Galvão sempre foram chegados numa quenga.

3 thoughts on “Atavismo

    • Não, Carol. Aquele cachorro.

      Aquilo só funciona quando o blog é muito lido. Antigamente eram 6 mil visitas únicas diárias, o pagerank era muito alto, então em meio à enxurrada de pintos pequenos e perguntas sobre como foder uma mulher, apareciam coisas realmente interessantes.

      Hoje este blog tem uma média de 500 visitas diárias, e a imensa maioria é de robôs ou search engines. Quase ninguém lê esta bagaça. O número de searchs caiu assustadoramente e, pior, se resume a pinto pequeno e como foder uma mulher.

      E eu acho que fiz todas as piadas que consegui fazer com elas…

  1. Rafael:

    Você tem uma culpa considerável nesta queda das visitas ao seu blog. Vamos lá.
    – Uma vez você se despediu e disse que não ia mais continuar com o dito cujo.
    – Depois voltou, só que ninguém sabia.
    – Mesmo retornando há intervalos muito grande entre as publicações.
    Ou seja, as visitas atuais se resumem aos fanáticos pelo seus posts que não desistiram fácil, como esse que vos escreve.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *