Do meu medo de advogados

A Lulu me mandou um e-mail com algumas recomendações jurídicas para blogueiros. São os excelentes conselhos do Túlio Vianna.

Dei uma olhada no blog e não consegui achar nada potencialmente contencioso, ofensivo, seja lá a palavra que usem.

Com exceção das alegrias do Google.

E agora fiquei com medo.

Aposto que o sujeito que veio para cá atrás de “fotos pornô das mães tiradas pelos filhos” vai me processar.

4 thoughts on “Do meu medo de advogados

  1. Depois daquela história com o Imprensa Marrom fiquei com medo também. E meio frustrada. Pensei que fosse possível usar o blog como uma forma de falar livremente, desde que sem dar como fatos coisas de que não tenho certeza. Mas pelo visto as palavras, mesmo quando são só palpites, opiniões que a gente pode trocar no dia seguinte se for o caso acabam tendo mais importância do que a gente pensa. O tal “eu acho” (e também o que os outros dizem que acham no blog da gente) ficou perigoso. Um saco isso.

  2. Já fui advertido por uma advogada blogueira!(Diria que foi uma ameaça!)
    Mas meu lema é e sempre será:
    NO FEAR!!

  3. fica esperto também com o “doutor” que caiu aqui à procura de contra-razões de apelação (aquele que queria livrar o cliente, um traficante).

  4. Bom, se vierem te processar isso significa que você está famoso. Daí você faz um drama, tira os posts do ar, blablabla. Simples, você sabe como fazer sua parte. Mas eu duvido que alguém venha te processar. Se estiver realmente preocupado, tasca um disclaimer em algum canto do blog. Eu fiz um para o chá, baseado naquele que a Suzi Hong escreveu para o Inagaki.

Leave a Reply

Your email address will not be published.