A bunda da mulher de John Lennon

Na livraria, aparece um livro chamado “Como John Lennon Pode Mudar Sua Vida”.

Não li o livro, sequer a orelha, mas tudo indica que seja um livro de auto-ajuda. E a síndrome dos livros de auto-ajuda tem chegado a absurdos quase inimagináveis. Talvez porque a arte de escrever algo do tipo exige a observância estrita de algumas regras.

Por exemplo, não se pode ser muito original. É preciso dizer algo com que o leitor não apenas concorde, mas em que já tenha pensado antes. Auto-ajuda, no fundo, é apenas uma forma de bajulação do leitor, ainda que injustificada. É um elogio à mediocridade. O talento do escritor de auto-ajuda é o talento do redator, de alguém capaz de dizer o que já foi dito de maneira convincente.

E então chegamos a John Lennon.

Depois de ver o livro fiquei imaginando o que, exatamente, John Lennon teria a me oferecer. Conheço razoavelmente sua vida, como os leitores provavelmente sabem. E por “razoavelmente” entenda-se um acesso incomum de modéstia, raríssimo neste monstro egóico que vos escreve. Um amigo, por sinal, filmou o sujeito esvaindo-se na noite de 8 de dezembro de 1980. Era produtor da MCA, passava por perto, ouviu os tiros e correu para lá. Não que isso aumente ou diminua meu conhecimento biográfico sobre o finado, mas demonstra, de certa forma, o meu interesse no assunto. Ou talvez nem isso: vai ver contei apenas para me vangloriar de conhecer uma testemunha do crime. Freud explica. Ou Adler. E talvez aquele velho maluco estivesse mentindo.

Mas o fato é que conheço razoavelmente a vida do sujeito, do número 251 da Menlove Avenue ao quinto andar — ou melhor, à calçada — do Dakota Building.

E talvez por isso me sinta autorizado a dizer que qualquer livro que pretenda ensinar a viver a partir do exemplo de John Winston Ono Lennon é uma fraude.

Afinal, o que se pode aprender com a vida de Lennon? A se viciar em heroína? A ser um pai abominável, tragédia agravada pelo fato de ter feito um bom trabalho com o segundo filho, só porque este teve uma mãe mais exigente? A ser uma pessoa insegura, agressiva e assustada, alguém que compensava sua personalidade detestável com um carisma impressionante?

Eu não quero aprender a viver assim. O mais grave, no entanto, ainda não foi dito.

Na contracapa de Two Virgins, primeiro disco da dupla, Lennon e Yoko Ono aparecem nus, de costas. E a verdade trágica então se revela, uma verdade feia, triste: a bunda dele é mais bonita que a dela. Não que alguma das duas preste para alguma coisa, mas a bunda dela é mais feia que a dele.

Então é isso que Lennon tem a me ensinar? A casar com uma mulher com uma bunda mais feia que a minha? É a isso que chamam ensinar? Porque um homem que se casa com uma mulher cuja bunda é mais feia que a sua é indigno desse nome, indigno como o pipoqueiro que oferece o primeiro cigarro de maconha ao garotinho da terceira série. Um homem tem o direito de casar com seios grandes ou pequenos, rijos ou flácidos; mas nunca, mas jamais poderá casar com uma mulher cuja bunda é mais feia que a sua. Esse não é um homem, não merece o direito de coçar o saco. Esse não é um homem.

Em verdade, não importa quão feia ou bela seja a bunda dela. Não. Este não é um conceito absoluto, porque toda bunda — quase toda — tem seus atrativos, suas graças. O que importa é apenas que ela seja mais bonita que a dele. O contrário é um crime contra bilhões de anos de evolução da espécie. É um crime contra as gerações que virão. Um casamento desse tipo só pode ser celebrado em um beco escuro na zona do cais do porto por um bêbado inconsciente e possuído por Belial — não, por uma legião de demônios, dos piores e mais malvados e mais cruéis que possa haver.

Aos homens que se casam com mulheres cujas bundas são mais feias que as suas já é reservado um justo castigo, o de não saberem em sua plenitude o que é encostar-se à bunda dela sob o chuveiro, com a mão ensaboada sob a dobra do seio; mas esse ainda não é castigo suficiente.

Um homem que se casa com uma mulher cuja bunda é mais feia que a sua melhor faria se dormisse com cabras; e deveria ser justamente apedrejado por homens que depositariam suas vestes aos pés de Saulo de Tarso — e talvez tenha sido esse o crime de Santo Estêvão, casar com uma gentia cuja bunda era mais feia que a sua; e o crime de Madalena seria ter uma bunda mais feia que aquele com quem deitou em adultério, e a Bíblia teria escondido tudo isso porque é um livro de bondade e de perdão, paz na Terra às mulheres de bunda mais feia que a dos seus maridos.

(Mas no caso de Madalena o verdadeiro culpado é aquele que a cobiçou, pois não está em seu direito ao cobiçar a mulher do próximo quando a bunda dela é mais feia que a sua.)

Talvez eu exagere, mas tenho a impressão, sempre tive, de que Lennon tinha absoluta consciência do crime tenebroso cometido, e por isso cantava “Imagine que não há propriedades”; porque se não tivesse casado com uma mulher cuja bunda era mais feia que a sua, Lennon saberia que ela — a bunda, não a mulher — é sua propriedade única e absoluta, a ser guardada zelosamente com cerca elétrica e cães de fila. Mas Lennon não sabia de nada disso, não poderia, e tinha que se contentar em ser um sonhador. A falta que faz uma mulher cuja bunda é mais bonita que a sua.

Não, John Lennon não tem nada a me ensinar, o livro se me afigura inútil. A única coisa que Lennon poderia me ensinar seria a compor obras-primas, mas um livro não pode me ensinar a ter talento. E sobre o que é realmente importante, a capacidade de adorar a verdade calipígia, ah, sobre isso aquele rapazinho de Liverpool não tem nada a me dizer.

54 thoughts on “A bunda da mulher de John Lennon

  1. Rafael, vai ver o cara era bom mesmo é na capacidade de abstração… Ser capaz de viver e ser relativamente realizado A DESPEITO de ser casado com uma mulher cuja bunda é mais feia que a dele mesmo. Ele era um herói.

  2. Eu sigo acreditando que a lógica mais fdp na face da terra é a lógica peniana… e viva a bunda, novamente.

  3. E na bundinha, não vai nada?

    Rapaz, mas que muxiba feiosa é a bunda dessa mulher. Deu até medo!

    Ah, parabéns pelo Flamengo ontem, rubronegro metido. Pena que o joguinho foi tão ruim, que no final exibiram os pênaltis do são paulo, pros telespectadores não se decepcionarem com a transmisão. hehehe

    Um abraço

  4. rafa, um dos melhores posts de todos os tempos!
    hahahahahahaha…
    mas olha, o fábio shiraga leu o livro e adorou; disse que é legal, bem humorado, até brinca com os DEFEITÕES do john. os autores não são manés… e eles tratam mais do john autor das canções que do john winston, o REAL.
    :>)

  5. Seus posts machistas são tão chatos! Eu até evito comentar neles pra não me estressar.

    Mas saiba que a modéstia fingida não o impede de se mostrar extremamente presunçoso ao achar que conhece John Lennon por ter lido algumas biografias.

    Você não o conhece, e não conhece Yoko. Não sabe, realmente, os motivos pelos quais eles se apaixonaram e viveram juntos.

    Criticá-lo pelo fato de sua esposa não seguir os padrões convencionais de beleza é de uma pobreza de espírito que não estou acostumado a associar a pessoas inteligentes como você.

    Quando a ironia e o humor politicamente incorretos redundam em algo efetivamente engraçado, até dá pra relevar. Mas não é esse o caso.

  6. Rapaz, como tem gente sem senso de humor nesse mundo…
    Ótemo post! Muito engraçado e verdadeiro… Não tem nada de machista, é humanista, uma bunda feia como a da Yoko é uma afronta a humanidade, e a triste constatação de que a bunda do Lennon, até que não seria de se jogar fora (fosse esta a minha inclinação), é talvez a prova cabal de que ele esforçava-se em ir contra as convenções sociais deste mundo, porém sem ter a compreensão de que, desta vez, havia ido longe demais…

    Abs e Viva o Mengão!!!

  7. Querido Rafael,

    Quando voce ja estiver cansado de comentar sobre bumbum do John Lenon, venha ler (e comentar) as minhas aventuras sexuais. Tenho certeza que voce vai gostar…

    Beijos

    Valenttina

  8. hahahahaha!Adorei! A Yoko Ono já tinha bunda (se é que aquilo é uma bunda) de velha na quela idade, imagina agora? um abraço!

  9. Rafael,
    sei que é feio reproduzir poesia em caixa de comentário, mas a causa é nobre. Então, receba:

    Carlos Drummond de Andrade

    “A Bunda que engraçada

    A bunda, que engraçada.
    Está sempre sorrindo, nunca é trágica.

    Não lhe importa o que vai
    pela frente do corpo. A bunda basta-se.
    Existe algo mais? Talvez os seios.
    Ora – murmura a bunda – esses garotos
    ainda lhes falta muito que estudar.

    A bunda são duas luas gêmeas
    em rotundo meneio. Anda por si
    na cadência mimosa, no milagre
    de ser duas em uma, plenamente.

    A bunda se diverte
    por conta própria. E ama.
    Na cama agita-se. Montanhas
    avolumam-se, descem. Ondas batendo
    numa praia infinita.

    Lá vai sorrindo a bunda. Vai feliz
    na carícia de ser e balançar.
    Esferas harmoniosas sobre o caos.

    A bunda é a bunda,
    rebunda”.

    P.S Quanto a Yoko Ono, ela é o que aqui na Bahia chamamos de Bunda de Caruru.

  10. Êpa, você reduziu um pouco a discussão. A bunda da minha mulher é bonita, mas a minha é mais bonita ainda, pelo menos é oque dizem. E agora? Será que poderíamos pelo menos criar uma pequena variante e dizer que a dela é menos bonita do que a minha, ao invés de mais feia? Assim ao menos talvêz eu fosse perdoado por ter me casado com ela. Ô conflito danado…

  11. Meu caro, Rafa. Uma bunda realmente pode dizer mais sobre uma pessoa do que mil palavras. Ao ver a foto em questão, posso concluir que:
    1) Brian Epstein deve ter se suicidado de inveja!
    2) Posso compreender melhor os caras que elaboraram aquela lista das piores capas de discos do mundo, ao darem o sexto lugar ao Two Virgins.
    gd ab

  12. Marcus,

    Seus comentários “indignados” aos meus posts machistas são tão chatos…

    E deixa de fazer charminho, Marcus. Você não evita comentar. Você gosta.

  13. Genial, as ever. Morri de rir! Realmente um de seus melhores textos. Agora, em se tratando de bunda as japonesas não são as mais famosas no quesito, vai dizer?

    Salvo as mestiças brasileiras que estão entre as mais belas.

    Agora…eita bunda feia essa da Yoko…cruzes

  14. Grande texto, Rafa. Abunda em qualidades …
    Franciel, tb lembrei imediatamente do poema de CDA … permita-me uma correção_zinha: ‘redunda’ no último verso.
    Beijos procês!

  15. Rafael,

    Estamos convencidos de que a bunda da Yolo é feia, embora seu texto seja bom, “uma foto vale por 1000 palavras”. O que eu estou curioso em saber, e
    vale a pena comprar o disco.Até hj só comprei os CDs em que John canta sozinho, meu medo sempre foi de a voz da Yoko ser mais feia que a bunda.rs…

  16. Droga, dois comments perdidos. (Rafa, me ensina a comentar aqui? =) )
    Como eu estava dizendo, ou a nádega contraída demonstra que ela é uma mulher que reprime seus instintos ou então, na hora da foto, a Yoko foi surpreendidasufocando um pum (Quem nunca fez isso, que atire a primeira pedra). Só isso (ou uma lordose retroflexiva) explica essa bundinha encolhida para dentro na hora de “strikar a pose”. Ô dó. 🙂

  17. “sufocando um pum” é um termo espetacular.
    Meu comentário perdido ou imaginado era mais ou menos isso:
    Talvez a lição de John Lennon seja “Como é possível ser relativamente realizado na vida apesar de ter se casado com uma mulher cuja bunda é mais feia que a sua.”
    Pode “auto-ajudar” muita gente.

  18. Oi Rafael te respondo aqui e lá: “‘Chien perdu’ é o nome do blog, Rafael, e “Vida de cão sem dono” é o subtítulo, autoexplicativo. Honra tê-lo entre os que comentam por aqui.”

  19. Eu –e mais meia dúzia por aí — já gostava da minha bunda. Depois de “reparar” com a devida atenção na bunda dela, vejo que não tenho bunda, tenho um monumento!!! Mas eu admito: morro de curiosidade de ver a bunda da chicotão…risos

  20. Rafael,
    Achei seu blog por acaso e adorei, vou começar a acompanhar.
    Quanto a bunda da mulher e bunda de homem, sai da caixinha quadrada. Quem te garante que ela era a mulher e ele o homem da relação?

  21. Muito bom! Um sujeito capaz dessa reflexão sobre o John e a bunda da Yoko merece – com certeza – o reino dos céus!

  22. Rafael…
    Porque será que eu não consigo ver nenhuma foto que vc publica?? Só no teu blog… não acontece em nenhum outro lugar. É super estranho, me dá uma dica!
    tks
    Ines

  23. Vc quer drama mais genuinamente gay do que o de Lennon?? Ele deixou Paul e os Beatles por … (rsrsrsrsr), bem, pela Yoko.
    O que Marcus quer dizer não procede. O tipo de amor de Lennon por Yoko (neste sentido -> Lennon -> Yoko) não é um tipo de amor a se invejar, pois Lennon anulava-se como indivíduo.
    Eu vejo como o amor de um talentosíssimo músico com uma artista absolutamente medíocre que para compensar o fato de ser famoso, anulou-se. E só. Nada mais.

  24. Entrevistei a Yoko quiando passou por Brasília, anus atrás, digo, anos atrás. Me pareceu uma velhinha bem simpática.

    Tá, não olhei pra bunda dela.

    Fiz cópias de seu post, dobrei e enfiei em todos os exemplares do “Como John Lennon Pode Mudar Sua Vida” que encontrei na Siciliano aqui perto de casa. Os leitores merecem esse seu adendo.

  25. Meu palpite é que Yoko devia saber que sua bunda era feia. Porque alguém faria um filme com uma série de minutos (No. 4 ou, mais simplesmente, Bottoms; confirmem por exemplo aquimostrando bunda e bunda e mais bunda?… senão pur uma pura, crua e simples inveja?

  26. Nunca vi uma critica pior e mais sem fundamento doq essa. Cade seus argumentos? Quem disse que toda mulher de um rock star necessariamente deve se ter uma bunda modelo? A Yoko sim é MULHER DE VERDADE!

  27. Eu acho que isso é uma montagem, só pode ser! fizeram uma sacanagem com a Yoko, trocaram a bunda dela com a do Lennon, só pode ser isto. Mas se não for montagem… realmente era uma bunda limitada.

  28. JOHN AND YOKO

    Em casamento há de tudo:
    Homem casar-se com feia,
    Megera magra ou baleia,
    Com tronco fino ou peitudo.

    Não é aceito, contudo,
    A fazer uso da idéia,
    Juntar-se o cara à mocréia
    Sem o traseiro agudo.

    Só alheado do pleno
    Juízo o beatle, John Lennon
    Casou-se com a Yoko.

    Posto se vê: ela nua
    Em suas costas cultua
    Não uma bunda: um ôco…

    Erigutemberg Meneses

  29. realmente a bunda dela eh feia….mas olha!acredito no amor de john lennon por yoko, n era algo superficial..onde soh a beleza eh q vale….quando amamos uma pessoa…por mais feia q seja, ao nossos olhos se torna bonita..”linda”….gente n se eskeção q a belaza um dia acaba e amor dura para sempre….yoko ono eh uma grande mulher…..tantas mulheres lindas q n são nada…burras,usadas apenas para o sexo kkkkkk
    mtu humor no seu texto..legal….mas n se eskeção…o amor eh algo mtu raro…e mtus nunk terão q a oportunidade de ter um!!!!

  30. 1) Lennon disse uma vez que o que o tinha atraído em Yoko é q ela parecia um homem pra ele (!!!!!)

    2) Cada um tem a bunda com que nasceu, é fato, mas não precisa expô-la tanto quando é feia!

    3) A bunda dela é mesmo muuuito feia. Devia ter ficado esconduda dentro das calcinhas, sim! Mas daí, não estaríamos discutindo isso por aqui!

  31. Li esse texto a algum tempo atras, em 2006 talves, e voltei a rir pra caramba.
    Aposto que é repressão de gas retal. Não possivel quando se olha ela de perfil a bunda dela é um aclive. Deus do seu.

  32. Rafael,

    Dei boas risadas lendo seu post…caraca…quando eu vi essa foto foi exatamente isso que eu pensei: “A bunda dele é mais bonita que a dela” !!! Na verdade acho que todo mundo pensa isso…hehehehe. Bjao.

  33. Não sei se o John Lennon tinha pretensão de ensinar ninguém (penso que não). Vi há uns anos um documentário sobre o inglês no qual tinha um pirado que se sentava à mesa com Lennon em sua casa de Londres e perguntava a Lennon o que que ele queria dizer com determinada letra de determinada música (não me lembro qual): Lennon, que estava sendo filmado para esse documentário, respondeu: eu não quero dizer nada, isso é para mim, não é para você, trate de ir atrás dos seus significados. Penso que o Rafael Galvão deve se lembrar desse trecho desse documentário e eu fiquei com a idéia de que para o Joca Lennon, como um Felini em 8 1/2 ou em qualquer obra sua, a última coisa que ele queria era ter a pretensão de ensinar a alguém qualquer coisa. Se tem um cara que usa o nome do Lennon para promover as suas idéias dentro de uma coloração de auto-ajuda, aí já náo é um problema do finado cantor. Quanto à Yoko Ono, sem comentários, tudo já foi dito acima., mas acho que o pai dela deveria ser alemão e o nome dela é na realidade Yoko Ohne (sem)e não Ono. abs.

  34. @Roberto Procopio

    Essa cena que você lembrou é uma das melhores do documentário “Gimme Some Truth”. O dropout citamndo uma música e Lennon dizendo “não, essa quem fez foi Paul.

    Mas o fato é que em vários momentos Lennon assumiu uma postura messiânica, sim. É só olhar seus bed ins pela paz, seu ativismo político no início dos anos 70, etc.

    Uma das alfinetadas de McCartney em Lennon dizia justamnete isso: “Too many people preaching practices / Don’t let them tell you what you wanna be”.

  35. Rafael,
    obrigado, pois não me lembrava dos detalhes. É isso mesmo, voce tem razão, o Lennon devia se achar a cereja do pudim. Aproveitando, gostaria de ver um dia seus comentários sobre filmes como Dogma do Amor, Dogville, Beleza Americana, Blade Runner, etc., ou seja, filmes que tratam dessa nossa atualidade complicada, pelo menos para quem vive numa cidade como São Paulo, espelho de muitas outras metrópoles. abs,

  36. DAS BUNDAS

    Gosto elas têm para tudo
    E todos, se gostam delas.
    Por atraentes e belas,
    Quem as vê não fica mudo:

    De um gacioso rabudo:
    – São almas-gêmeas singelas,
    Uns dizem. Outros vêem nelas
    Bandas de lua, contudo.

    Alguns da bunda em meneios
    Dizem: as costas têm seios,
    Mas em lugar diferente.

    Prefiro vê-las dois lábios
    Que abertos dos alfarrábios
    Dizem o quanto é indecente.

    Erigutemberg Meneses

  37. E a verdade tem que ser dita: a bunda da Yoko Ono é, inclusive, mais bonita que a cara dela!

  38. Por falar em bunda. Vc viu o Obama olhando para a bunda da adolescente brasileira, seu pensamento, com certeza era; O Brazil é realmente o cú do mundo.

  39. A razão pela qual John Lennon pouco se importava com o formato da bunda de sua companheira,
    talvez fosse o culto ao botão, simplesmente.

    BOTÃO

    No meio da humana fauna e flora
    Há um botão em que não vinga flor,
    Porque entre as pétalas demora
    Surgir à luz e dar-se ao calor.

    À vista de bem poucos se aflora
    E causa, entrevisto, o torpor
    Da orquídea abandonada que ignora
    Quem do raro botão se encantou.

    A planta que só dá fruta carnosa,
    Entre os ramos, traz a mais formosa
    Das flores, a se ver de antemão,

    Parece desgostar até da gema,
    Mas, quando indiferente ao dilema,
    Se rende, mais prazer dá-lhe o botão.

    Erigutemberg Meneses

  40. Quando alguém julga o amor de uma pessoa por outra apenas pelos atributos físicos,dá clara demonstraçào de indigência mental.Realmente Lennon nada teria a ensinar a vc.Genialidade,sonho,humanismo,amor,pacifismo,não se ensina.Principalmente a tupiniquins que são movidos por preconceitos e observações toscas. O autor de “Imagine” fez o que foi considerada “a música” do sécXX além de centenas de outras memoráveis,e é ainda cultuado no mundo inteiro.Vc faz o quê,mesmo???

Leave a Reply

Your email address will not be published.