Conselho para o jornal Olé

Na edição passada vocês recomendaram ao torcedores brasileiros que, diante da derrota do Brasil para a Holanda, a gente comprasse uma TV de LCD para poder ver o resto da Copa.

Devolvo agora o conselho. Mas comprem um maior, para poder enxergar o placar.

9 thoughts on “Conselho para o jornal Olé

  1. Como diz uma música dos The Fevers: “tudo que vem tem volta”.
    E teve…

    Perder é humano…perder de goleada é hermano.

  2. Eu diria, que os Argentinos estão em vantagem.
    Mesmo perdendo de maneira sepulcral, mesmo levando de quatro a zero, cantaram os nomes de seus ídolos. Gritaram os nomes aos milhares de Maradona, Messi, Veron.
    Eles amam muito mais o futebol do que os brasileiros.

  3. Tiago, eu não diria isso (e lembrando que o post é direcionado ao Olé, e não à seleção argentina).

    Acho que o problema aí é de carisma, dos técnicos e dos jogadores. Maradona tem; Dunga não.

    De resto, o problema é o mesmo: seleções com problemas graves.

  4. Ah não Rafael, agora tenho que discordar de vc. Maradona não é um caso de carisma. Definitivamente não. Maradona é um belo de um malandro, picareta. Faz tudo sabendo q está sendo assistido. Tudo faz parte do seu pequeno show. Seus gestos, suas palavras, suas cenas, tudo premeditado para persuadir e fascinar as mentes pouco atentas e muito impressionáveis que enxergam tão somente a superfície. Alguém aí já viu um malandro, que precisa ganhar a vida, de cara amarrada, ?? Como disse Zeca Baleiro.. é o disfarce que revela o bandido.

  5. O curioso é que Dunga tinha um índice de aprovação até o primeiro tempo entre brasil x holanda de 60 %.
    Entretanto discordo que a questão seja apenas o carisma. Maradona tem, isso é certo, como técnico, menos com a imprensa do que com a torcida. E nisso ele se iguala ao Dunga antes da saída do brasil da copa.
    Mas é hilário o apoio e desprezo dos torcedores brasileiros ao Dunga. Um antes e um depois tão violentamente opostos. Carisma não explica isso, muito pelo contrário.
    E eu não acho que a recepção de jogadores perdedores seja um bom parâmetro para avaliar quem gosta ou não de futebol.
    Segundo tal visão, seria possível afirmar que quem mais gosta de futebol na américa do sul seria o paraguai, ou talvez quem sabe o uruguai. Vejo nessa observação uma certa precipitação ufanista, a mesma que elevou dunga ao trono da competência.
    As manifestações de apreço e desprezo diz mais sobre o carácter desses dois povos do que sobre futebol.
    Na relação com a tragédia, os argentinos digerem o resultado e aplaudem, os brasileiros não. Ou somos maus perdedores ou os argentinos são conformistas, o que em copa do mundo, no caso de derrota, dá no mesmo heheheh.
    abrços

  6. Eu me esquecí do principal, eu não sei a diferença entre uma maior ou menor, mas eu estou continuei vendo a copa numa LCD.

  7. quando se fala d futebol,vamos ver quem manda melhor!!futebol d campo brasil,penta .futebol de areia não tem pra ninguem,futsal,é covardia né!futebol feminino, apesar da falta de apoio dá prazer em ver as meninas jogarem.até no futebol para os deficientes nós que dominamos!!p/completar a proxima copa américa vamos mandar a seleção feminina,porque cansamos de mandar os reservas masculinos e os argentinos arreganhar as pernas. seleção argentina é igual brigar com bebado, se bater é feio, se apanhar é pior ainda.!!!taí o porque eles tanto nos criticam,inveja,incompetençia e ainda tem um jornalzinho sensacionlista,que deveria mundar de nome. de ”olé” para o lixo!!toma essa de quatro hermanitos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.