A UDN vestida de azul e amarelo

Há 52 anos, um homem cunhou uma frase belíssima sobre um então candidato a presidente. “Juscelino não pode ser candidato, se candidato não pode ser eleito, se eleito não pode ser empossado, se empossado não pode governar.”

O nome do sujeito era Carlos Lacerda. Homem absurdamente brilhante — certamente mais brilhante que a grande maioria da oposição de hoje –, mas também um dos maiores cancros que a sociedade brasileira já produziu.

Felizmente, apesar dos apelos de Lacerda, Juscelino foi candidato, eleito, empossado e realizou um governo memorável.

O golpismo de Lacerda, no entanto, não acabou ali. Tinha atrás de si uma vitória, ser um dos principais responsáveis pelo suicídio de Getúlio Vargas. Já tinha conseguido alguma coisa. Nos dez anos seguintes, Lacerda pediu incessantemente o golpe militar. Foi atendido em 1964, mas foi também uma de suas primeiras vítimas.

Carlos Lacerda morreu em 1977, politicamente destruído, vários anos depois de o partido de que era símbolo, a UDN, ter sido extinto pela ditadura da qual foi um dos principais artífices. Os militares sabiam que não podiam contar com aqueles golpistas. Aquelas vivandeiras eram muito pouco confiáveis.

Mas agora, quase 30 anos depois, o seu cadáver de triste lembrança foi exumado pela oposição tucana. Desesperados diante do que tudo indica será uma derrota incontestável, os tucanos sobem às tribunas para pedir, sem nenhuma vergonha, o golpe puro e simples, como o venerável senador sergipano José Almeida Lima, ex-prefeito e homem hoje rico, que utilizou a tribuna do Senado na semana passada para declarar que “não podemos tolerar a vitória da corrupção” e que o governo de Lula “tem que ser interrompido”. Assim como a UDN naqueles tempos, o discurso tenta usar disfarces democráticos. Mas as entrelinhas são grandes demais. E são golpistas.

O raciocínio é simples: se a gente não consegue ganhar no voto, vai ganhar no grito.

E assim cai o véu. O jogo democrático não interessa a eles. O discurso da vontade soberana do povo, para eles, é só isso: discurso. Vestindo a túnica puída da UDN, o PSDB sobe às tribunas pedindo o golpe. O povo, para eles, só sabe votar quando elege um tucano. Quando deixa claro que acredita no governo e que acha que, com Lula presidente, vai comer algo melhor que chuchu ao molho FHC, os neo-udenistas se acham no direito de recorrer ao golpe e à destruição da democracia.

Essa é a nova UDN, vestida de azul e amarelo.

Durante os primeiros anos do governo Lula, o tucanato elevava a voz para falar do seu republicanismo. Dir-se-ia serem vestais a serviço da democracia. Se não havia diálogo com o governo, era porque o governo Lula tinha tendências autoritárias, tinha voltado as costas para o social (é engraçado e estranho ouvir o PSDB dizer isso, mas na oposição a gente pode falar o que quiser). Com o escândalo do mensalão, eles passaram a ter algo mais concreto nas mãos. Mas a verdade é que a nova UDN ainda não está acostumada a fazer oposição, e errou na medida.

Por isso o ódio udenista da oposição passou dos limites. Com sua histeria e ferocidade, acabaram criando uma certa repulsa por parte de quem interessa: o povo. O que as últimas pesquisas do Ibope, do Datafolha e do Vox Populi indicam é que, apesar de tudo, apesar de ano e meio de campanha cerrada, o povo continua dizendo não às múmias udenistas. Apesar de todos os ataques a Lula dos últimos meses, o povo brasileiro continua reconhecendo uma coisa simples: para ele, o governo Lula foi o melhor dos últimos tempos.

Enquanto a oposição bate há tempos e de maneira burra na tecla do baixo crescimento econômico do Brasil, o que o povo entende é outra coisa: que as classes mais baixas, nesses quatro anos, melhoraram e muito de vida. O que ele percebeu — e por isso é chamado de ignorante — é que há uma diferença ideológica clara entre o governo Lula e a nova UDN, diferença traduzida no crescimento econômico para quem mais precisa dele. É por isso que hoje, ao contrário do que acontecia até o início de 2005, a oposição abandonou o discurso de que Lula voltou as costas para os pobres. Não que tivesse algum pudor em apelar para isso: mas a dissonância cognitiva é tão grande que até eles, nesta reta de final de campanha tentando tirar o último caldo de virtualmente todos os escândalos acontecidos no país nos últimos tempos, sabem que não funciona mais.

Mas o pior, mesmo, é ver o deboche com que a nova UDN trata instituições que dizia sagradas, como o voto popular. São capazes de insinuar uma tragédia para o Brasil, a destruição de tudo o que foi construído nos últimos 20 anos — inclusive com a sua participação, por sinal nada desprezível — apenas para se ver novamente no poder. Aquele republicanismo tão propalado se revelou uma farsa, como a democracia udenista nunca passou de falácia, e como a recém-descoberta honestidade do PSDB é tão falsa quanto a crença no voto soberano.

Perdendo de vez seus escrúpulos, a nova UDN se igualou ao seu aliado, Garotinho (aliança justificada pelo príncipe dos sociólogos aos dizer que “eu também fiz alianças, assim como Lula”), cujos conselhos programáticos para Alckmin são os de deixar de usar fitinhas do Senhor do Bonfim e evitar tomar banho de pipoca, coisa de altíssimo nível político; o mesmo ser deletério e que há alguns meses tentou fazer do Brasil uma república de bananas, pedindo observação internacional para as eleições, em meio à greve de fome mais ridícula de todos os tempos.

A UDN que se alcunha PSDB, hoje, é uma vergonha para o Brasil.

Republicado em 15 de julho de 2010

37 thoughts on “A UDN vestida de azul e amarelo

  1. Esse Alckimin é um dos maiores mentirosos que eu já vi. Se aumentar um pouco o cinismo dele, talvez ele exploda. Ele faz questão de dizer que não é um político de direita, mas um social democrata. O pai dele foi militante da UDN, o tio era facista e a filha é uma das donas da Daslu. O próprio é símbolo da direita, e adora declarar que foi um dos vereadores mais jovens a ser eleito, com 19 anos. Só não vale falar que era pela MDB. Diz-se que era o partido de oposição a Arena.

    Tá bom… enquanto os VERDADEIROS partidos de oposição foram autoritariamente extintos, enquanto os personagens políticos VERDADEIRAMENTE opositores ao governo militar estavam exilados, ele estava aqui, no Brasil, fazendo uma oposição de fachada com 19 anos.

    Para a Arena era até bom ter Geraldo Alckimin na “oposição”. Afinal, ter o filho de um militante do regime, sobrinho-neto do vice-presidente do general Castelo Branco e um simpatizante da seita facista Opus Dei como oposição, é de se esperar que essa oposição fosse mesmo somente fachada. 🙂 Aposto que ele vai querer pegar o Lula depois das eleições, e colocá-lo em regime disciplinar diferencido =x

  2. Olá, caro Rafael,
    e eu lhe pergunto: hoje, o que não é uma vergonha ao Brasil? Vem presidente, vai presidente e nada muda, um espectro de uma suposta esperança ronda o país, como se “dessa vez vai dar certo” e tudo continua na mesma, depois os que estão no poder, voltam a criticar o que agora são oposição e logo mais estarão no poder de volta. E ficaremos nesse vai-e-vem de famintos buscando poder e morte aos compatriotas. Assim é e só.

  3. Seus textos estão cada dia melhores, com muito embasamento, com muita realidade. Parabens! Continue nos presenteando com sua vivacidade e inteligência.

  4. Eu não preciso dizer mais nada.
    Golpismo puro do PSDB. Eu já tinha (pobremente) escrito algo sobre isso. Esse povo é inimigo da democracia.

    Falando seriamente, eu não ia votar no Lula no primeiro turno. Ia anular meu voto por entender que o voto nulo (embora em nosso sistema não o seja) é tão representativo quanto outro qualquer.

    O que me fez mudar de idéia foi a tentativa ridícula de golpe. Foi ridíoculo o que houve em relação aos “dólares do dossiê”.

    O papel e a participação da mídia naquele episódio me fez mudar radicalmente.

    Votei no Lula e vou enfrentar uma viagem de quase cinco horas para vota nele de novo no segundo turno.

    Sou contra golpistas. Sou a favor da democracia. Acho que o Brasil avançou muito institucionalmente para estes udenistas destruírem o que eles mesmos ajudaram a reerguer.

    Estou com medo do que o futuro nos reservará. Com o ridículo do Presidente do TSE que temos, dá medo mesmo!!!

    Até.

  5. Bom: a marionete de chuchu não dá. O Lula poderia ser bem melhor. Inegável a decepção que ele provocou em muitos… assim como surpeendente os raros êxitos de FHC. Poderíamos ter mais opções, apesar de achar que o futuro presidente novamente não seja ruim. As coisas aconteceram e nós que não vemos (e sim, temos que ler) nunca saberemos o que realmente acontece. As verdades, mentiras. Eu, classe média decadente não reclamo. Existem méritos e deméritos em nossa história independente de quem nos represente (talvez pelo país ser jovem, afinal). É claro que isso é um ponto, certamente há mais para ser discutido.
    Mas os descendentes dessa classe essedebista (a mesma que a minha, vejam só!) esperneiam. Então berrem mais quatro anos esse bando de carpideiras… Eu, gostaria de viver mais uns duzentos anos para acompanhar esse samba.
    Abraço.

  6. outro texto perfeito. e você acredita que ainda tem gente que ousa dizer que é melhor votar no alckmin porque ele sim é de esquerda?? socorro! eu tenho medo do que essa gente pode fazer (não sei porque, mas isso me soa familiar). deles, eu espero tudo.

  7. TSC TSC TSC que exagero. Golpe? Até isso agora? Pois o Lula não vai ganhar mesmo?
    Que mané golpe que nada, não vamos agora começar com teorias de conspiração.

    “na oposição a gente pode falar o que quiser” Será o PT provando do próprio veneno?
    Em compensação, no governo NÂO se pode falar tudo que se quer, coisa que o Lula em 4 anos ainda não aprendeu, e onde mais pecou foi por falar demais, em geral bobagem.

    “as classes mais baixas, nesses quatro anos, melhoraram e muito de vida” – o que pode ser verdade (ou não, a julgar pelo filminho muito ilustrativo em exibição no meu blogue) mas se assim for, certamente não é às expensas da diminuição dos indecentes lucros dos bancos, e sim ás custas dos impostos recolhidos na fonte dos fudidos de carteira assinada do que se convencionou chamar “classe mérdia”.
    Voto nulo, pessoal, NULO!!!!

  8. se o FHC teve diteito a uma reeleição , LULA tambem tem, o Alckmin ontem no debate na rede Record insistia em dizer que o PT e o LULA ja tiveram sua chançe, como se o FHC não tivesse governado por 8 anos o nosso país, se fossemos pensar assim nenhum dos dois partidos teraim o direito de governar o país , tambem concordo que o governo LULA teve o melhor governo dos ultimos tempos !!!

  9. É melancólico ver o FHC terminar assim. O poder envenena o sangue dos homens ou, talvez seja mais apropriado dizer, tem o dom de revelar o que há de mais podre em suas almas.
    E pensar que já estudei nos livros dele, maravilhado com seus textos brilhantes, ainda que questionáveis. Mas aquele era um outro FHC que ele próprio pediu que esquecêssemos.

  10. me impressiona seu fanatismo ideológico e seu amor incondicional pelo lullo-petismo.
    seria o PT a UDN de 15 anos atrás? no período em q foi oposição o PT só fazia bater em quem era governo e agora, coitadinho, toda critica q recebe é tachada como golpismo.
    admiro vc, rafa, mas ao abordar estas questões partidárias de forma tão passional vc tende a cair em análises primárias e maniqueístas.
    vem cá, amigo, seja sincero, vc não acha q o collor é aprendiz em termos de corrupção se comparado a lulla?

  11. E pensar que o PSDB foi fundado como partido de esquerda… Depois virou um “PFL light”. Agora nem isso. É UDN mesmo. Fernando Henrique, que em outros tempos se exilou no Chile de Allende e hoje discursa chamando Kissinger de “velho amigo”, não nos deixa mentir. E dá-lhe golpismo em cada declaração que faz.

  12. Não há a menor necessidade de dizer que sua série de posts está magistral, mas eu digo assim mesmo.

    Você apenas esqueceu de mencionar que Fernando Henrique mencionou textualmente o Lacerda como modelo de oposição que o PSDB deveria usar.

  13. Não vi ninguém sério defendendo o golpe. Alckmin declarou que, se reeleito, o governo Lulla acaba antes de começar, DEVIDO À DISPUTA POR 2010 QUE COMEÇARÁ LOGO EM SEGUIDA! A imprensa tirou a frase dele do contexto e, de fato, soou como golpismo.

    De todo modo, impeachment (ou anulação da vitória lullista pelo TSE em virtude de fraude eleitoral) e golpe são coisas diferentes. Ou vc acha que o impeachment do Collor foi um atentado à democracia? Bem, era exatamente o que ele dizia na época: que o haviam tirado do poder pq ele defendia os descamisados… E a semelhança entre ambos é ainda mais patente após Lulla ter declarado que “Collor poderá fazer um trabalho extraordinário no Congresso”.

    Enfim, o fato é que Lulla precisa responder pelos seus atos; se comprovado que ele foi conivente com toda a bandalheira que estamos vendo, deve ser afastado do poder pelos meios constitucionais que existem pra isso. Isso não é golpismo; e o contrário disso é impunidade.

  14. O CRIME DA RUA TONELEIROS.
    Pistoleiro de tocaia para assassinar Carlos Lacerda: aponta, atira e acerta o Major Vaz no peito e o Carlos Lacerda no pé.
    Rafael, você já viu história mais fantasiosa do que esta?
    O mais esquisito em toda essa fantasia é que até hoje ninguém explicou como um tiro de revólver calibre 45 não deixou sequelas no pé do tal Carlos Lacerda.
    Outra pergunta que não quer calar: por que o pistoleiro não assassinou o Carlo Lacerda? Será que sua arma só possuia dois projéteis?
    Até hoje, não engulo essa tentativa contra a vida de Lacerda. Para mim, tudo não passou de uma armação do próprio Lacerda para derrubar Getúlio.
    UDENISTAS, TUCANOS e DEMOS se equivalem. Estes últimos são capazes das maiores atrocidades para derrubar Lula ou qualquer outro detentor de cargo que se puser no seu caminho.
    Rafael, seu artigo é brilhante.

  15. Não tivesse visto a data (e a referência final a Alckmin), poderia jurar que foi originalmente escrito hoje. Excelente requentada, rs.

  16. Rafael, vc se porta como cgefe de torcida do lullo-petismo. lamentável, pra não dizer ridícula, sua postura. lendo textos assim redigidos pelos fundamentalistas do lullo-petistas, é q dá uma certa aoreensão na hipótese de Serra vencer as eleições. ser´q voces vão fazer oposição apenas na base do discurso UDNista do PT [tipo 15 anos atrás], ou serão capazes de partir pra luta armada???? responda, Galvão

  17. Petista do Maranhão,

    Seu comentário beira a imbecilidade. “Na hipótese de Serra vencer as eleições”? Você realmente tem acompanhado o noticiário? Você sabe do que está falando?

    Quanto à sua pergunta, não custa lembrar que o PT foi oposição durante muito tempo. Essa história de luta armada é uam das frases provocadoras mais idiotas que eu já vi.

    O que há de triste nesse post é que, mesmo tendo sido escrito quatro anos atrás, ele continua basicamente atual. Por culpa única e exclusiva da incompetência de vocês.

    Se em vez de falar essas besteiras vocês cuidassem de tentar criar um programa de governo, vocês estariam em situação melhor. E aí eu até poderia cogitar a hipótese de uma “vitória serrista”.

  18. e desde quando o [verdadeira] programa do PT pregado antes de 2002 é esse do governo Lulla de hoje? o mal dos lullo-petistas é achar q só elles é q são dotados de cérebro. ora, Lulla apenas deu continuidade ao governo FHC, vide o Meirelles coma chave cofrinho do Banco Central. sim, é claro, q Lulla deu uma valorizada no Bolsa Esmola. engraçado você ficar irado com opiniões contrárias às suas, do lullo-petismo, já q voces são tão dóceis com Collor, Sarney e Renan. sintomas de um amor perfeito.

  19. Ô, meu Deus…

    Imagine o que quiser, mesmo que nÃo tenha nada a ver com a realidade: o verdadeiro programa do PT, goste dele ou não, é esse que ele pôs em prática. E que só é ruim pro PSDB/DEM. É esse que está em debate agora. Da mesma forma como o verdadeiro programa do PSDB é essa mixórdia udenista e vazia de hoje, e não a social-democracia proposta em 1988.

    Você não entende isso como não entende que Serra já perdeu a eleição. Cá entre nós essa tática usada por vocês é de uma indigência só. Depois se perguntam por que a derrocada do PSDB aconteceu.

    Quanto a ficar irritado, não é exatamente com opiniões contrárias à minha. Dê uma olhada neste blog e vai ver grandes discussões. Eu apenas chamo as coisas pelo seu nome — e o que você chama de “suas opiniões” foram chamadas aqui pelo nome correto.

  20. Serra perde a eleição se houver FRAUDE. e isso não é impossível de acontecer. está no DNA arbitrário do PT. vide o apoio de Lullla à Ahmadinajad

  21. Rafael:

    Você está comparando o Juscelino, um médico, um refinado cavalheiro, um visionário, com o Lula, esse ignorante grosso, usurpador do plano real, do Bolsa Escola e reacionário de esquerda? Você, ou é louco ou mal intencionado.
    Esse ser bizarro que ele colocou para ser candidata a presidente deve realmente ganhar, porém, isso não será bom para o Lula, ao contrário do que ele pensa.
    Explico: essa “senhora” uma vez eleita vai fazer exatamente o que ele, o Lula, fez. Vai trair o próprio Lula que a elegeu e colocá-lo no lugar de onde ele jamais deveria ter saído. Num boteco tomando pinga com gente da laia dele, que é o que ele gosta.
    Se você estiver perguntando como sei que isso vai acontecer, eu te digo que é muito fácil adivinhar: na esquerda só tem gente que não presta, sempre foi assim no mundo inteiro; é uma gentalha sem honra, sem princípios, sem dignidade, que só quer se dar bem. Gente dessa laia, da esquerda, finge estar com o povo, uma vez com o poder nas mãos, esquece esse povo, esquece o seu passado, trai a todos, seus amigos, seus ideais (como fez o Lula) e vai se arrumar.
    Tomara que o Lula faça da Dilma sua sucessora, elle merece.

  22. Rafael!

    O Lacerda ao falar a respeito de Getúlio, Juscelino ou Brizola, dizia: “Não podemos fazer do Brasil uma república sindical”.

    Quem recentemente reciclou este mote ordinário e mequetrefe foi o próprio José Serra…

    O que a UDN de hoje não entende, é que desde sempre quando o antigo PTB de Brizola, Juscelino e Vargas se aliava ao PDS, perdia a eleição.

    Hoje em dia, o papel do trabalhismo é executado pelo PT, e o partido de centro, antigo PDS é o PMDB – O PSDB e o PFL repetem o script da UDN, e inclusive/principalmente quanto ao mote golpista, vide a Procuradora Sandra Cureau pedindo a impugnação da candidatura da Dilma.

    A máquina da propaganda da mídia consegue mesmo adestrar os seus trolls, que em real pensam que o sucesso atual deste governo é por manter um tripé (superavit primário, metas de inflação e cambio flutuante) que foi implementado pelo PSDB, mas ressaltemos que em face a imposições do FMI, que pegavamos dinheiro emprestrado, e hoje em dia emprestamos.

    Para o Oliveira e o ‘petista do maranhão’, uma tentativa de retirar este encosto dito ‘guinorança’ que assola as vossas almas: http://setepalmos.wordpress.com/2010/05/27/dois-governos-diferentes/

    Saudações!

  23. Corrija por favor também o meu website que aliás tem um artigo que compara também o jornalista Arnaldo Jabor ao inseto “lacerdinha”…
    Quebra mais esse galho ai, revisor. Obrigado!

  24. Rafael:

    Inteligência não me falta para reconehcer uma ironia quando vejo; eu não sou da esquerda.

    No que eu disse não há ironia. Eu disse, exatamante, o que penso destas pessoas repugnantes do PT, e da esquerda em geral.

  25. Caramba…incrível a atualidade do texto. Se não fosse à referência ao chuchu, eu teria achado que vc acabou de escrever esse post. Parabéns.

    E, pare de alimentar os trolls!!!!

    to te tuitando.

  26. Oliveiras e maranhões!que saudades dessa cachorrada… é um prazer inenarrável sabê-los ainda vivos e latindo seu desespêro pela derrota iminente.
    Minha satisfação pela vitória da Dilma só perde para o prazer (sádico, admito) de ver essa gente se estrebuchar.
    Como disse o bornhausen, bem, deixa pra lá, vocês sabem…

  27. Ô Rafael, tudo muito certo, tudo muito me agrada no seu texto, tanto então como agora.

    Só me ajuda num negócio, e isso não é provocação trolleira. Quê que deu no PT com Roseana? Isso dói, né. Não conheço o Maranhão, mas desconfio de muita coisa. E dentre aquilo de que desconfio tá isso: aquele povo não merece Roseana não.

    Abraço!

  28. Caros “brasileiros e brasileiras”, fico feliz ao ler matérias como essas. Até não me importa muito o lado político em que se situam: importa-me, sobretudo, algo fantástico chamado “democracia”. O direito de falar, de estrebuchar, de revidar, de espernear, até xingar… É este o ponto que eu gostaria de ressaltar nesse “amplo e atual debate”: que o discurso, as ideias e pensamentos sejam externados em profusão e com liberdade, sem, todavia, que a moral, os princípios e o direito de defender direitos, facções, partidos e pessoas, sejam atacadas ou feridas.
    Confesso, tenho horror a político, mas amo a política! Alguém já disse isso… Ainda que Sarney possa ser tudo aquilo que certo livro diz, há uma esperança no fim … da vida: o STF… Desculpem-me… Ao debate, gente, porque “é por aí que passam as grandes ideias, filosofias, tratados e ações”. (Zlao)
    Orlando Vieira, paulista, do interiorzão, de “pé-no-chão” a “contador”, agora, no Ceará de meu Deus.
    P.S.: A propósito, alguém quer algumas centenas de políticos de presente? Gente boa “pra caramba”, parafrazeando certa propaganda que oferta ligações em celular, “baratin, baratin”.

Leave a Reply

Your email address will not be published.