Um meme achado por aí

Vi o meme na Luma e resolvi me meter na conversa mesmo sem ser convidado:

1 – Por que você resolveu criar o blogue?

Eu queria um lugar onde pudesse escrever as bobagens que mandava para amigos por e-mail, e um lugar onde pudesse escrever de maneira diferente do que costumava escrever, com textos mais longos, sem muita regra. Exercício.

Mas acho que a pergunta que importa não é essa. Começar um blog é muito fácil. A pergunta que realmente importa é: por que você mantém um blog?

E eu não tenho uma resposta a essa pergunta. Talvez porque eu goste de escrever, talvez porque eu goste de dar opinião sem base sobre qualquer coisa, talvez porque eu goste de irritar as pessoas.

2 – O que te dá mais prazer em blogar?

Elogios. Eu sou viciado em elogios, é uma doença que me acompanha desde a mais tenra idade. Eu comia elogios no café da manhã. E quando ninguém me elogia, o que aliás é excessivamente comum, eu me auto-elogio. Por falar nisso, eu já disse hoje que sou quase lindo?

3. Indique um blogue bom e um que você não gosta e porque.

Não posso indicar um blog de que não gosto porque não leio blogs de que não gosto. Ler blogs de que não se gosta é uma ocupação masoquista para quem tem tempo livre à disposição, e eu não tenho.

De resto, a verdade é que não sou grande leitor de blogs, por falta de tempo. Não tenho internet em casa. Isso me tira a chance de descobrir coisa boa e me faz ficar cada vez mais defasado tecnologicamente; fico mais conservador e não acompanho essas novidades de Facebook, Second Life, etc.

No fim das contas, eu recomendo os blogs que estão aqui ao lado, no meu blogroll.

4. Qual o tipo de música e quais suas bandas favoritas?

Rock and roll, blues, jazz e soul. Beatles.

5. Qual o assunto que você gosta mais de postar?

Pergunta difícil e que também não sei responder. Qualquer coisa. O que vier à minha mente angelical.

Mas acho que gostaria de escrever textos mais longos, analíticos e seriamente embasados, aquelas coisas que dão respeito, sabe? Mas me falta tempo. Eu queria fazer um post sobre cotas, sobre as razões pelas quais mudei minha opinião nos últimos anos (uma pista está aqui e aqui), mas me falta tempo objetivo e subjetivo; escrever por escrever não vale a pena. E como se isso não bastasse, problema maior seria acompanhar a discussão subseqüente.

Aí eu escrevo qualquer besteira e torço para não ser muito esculhambado.

6. Seaquinevasseceusavaesqui?

Eu não falo russo, camarada. É a sua.

7. Você é casado, solteiro, separado, enrolado, desquitado, chutado, viúvo ou outros?

Vivo levando tanto pé na bunda, coitado de mim, que nem sei mais. Ninguém me ama. Ninguém me quer.

8. Por que você deu este nome ao seu blogue?

Porque nome bonito estava em falta. Um muambeiro ficou de me arranjar um melhor, mas a Receita pegou o idiota no Galeão.

9. Qual o último blogue que visitou?

Acho que o Liberal Libertário Libertino, procurando um post sobre o qual eu queria falar.

10. Por que resolveu participar deste meme?

Porque eu não tinha assunto para hoje.

8 thoughts on “Um meme achado por aí

  1. Caro Rafael:

    Você diz que gosta de elogio; coisa humana, demasiada humana. Porém quem se expõe em quaisquer tipos de veiculo publico deve saber que também sofrerá o julgamento público. Digo isso por que: eu somente lia seus pots, sem fazer comentários, entretanto, me chamou a atenção a sua falta de tato com que tratou um tal de João Neto, quando este defendeu a cidade dele, São Paulo, de uma declaração sua, que depois de fazer um visita, a São Paulo, falava mal e dizia que a sua cidade sim é que era boa e que tinha uma das melhores qualidades de vida do país. Bom, ele, naturalmente, se defendeu dizendo que São Paulo era a melhor cidade do pais, o que é verdade a despeito dos seus problemas proporcionais ao seu tamanho (eu não moro em São Paulo), e que a sua era um porcaria e que se não gostasse de São Paulo, deveria ficar por aí. No outro post você disse que esse João Neto era burro e que justificava sua política de censurar os posts.É aí que não concordo. Em primeiro lugar porque ele não te ofendeu, mas, somente defendeu São Paulo. Ao contrario, você sim, o chamou de burro. Você pode ter o poder de censurar os comentários, porem não tem o direito, uma vez que é antiético expor uma opinião publicamente e não dar direito de resposta e opinião de outros. Estou te escrevendo isso sem a menor intenção de criticá-lo, mas de alertá-lo que sua atitude poder funcionar contra você tirando credibilidade das suas publicações em que somente os comentários dos seus admiradores tem valor. Não me diga que isso não te importa, pois sei que não é verdade. Se não quer ser questionado, ou criticado, não deve escrever publicamente, mas somente a amigos. Você somente tem o direito de censurar, se achar necessário, ofensas pessoais a você ou a outros.

    Abraços desse seu recente leitor e comentarista.

  2. Santiago,

    Eu tenho todo o direito de moderar os comentários aqui. Como tenho o direito de abrir ou fechar o blog. Este é o meu espaço. Não é repartição pública nem depende de concessão do Estado para funcionar. Já disse várias vezes: não gosto de quem cobra democracia na casa dos outros. Para quem quer dar sua opinião, eu posso recomendar alguns serviços gratuitos de hospedagem de blogs, como o Blogspot e o WordPress. Garanto que não vou moderar nada lá.

    Mas recomendo a você que passe os olhos sobre posts “polêmicos” ao longo deste blog, e vai ver que críticas são extremamente comuns. Mas críticas fundamentadas e dentro dos limites que, sim, eu estabeleço. Você pode não gostar, mas desse princípio eu não abro mão.

    A propósito: credibilidade não é exatamente o meu objetivo aqui. Eu não sou jornalista. Meu único compromisso é comigo mesmo. E como você já devia ter percebido, eu quero é ver o oco.

  3. Santiago:

    Agradeço a defesa, mesmo que indireta!

    Não ligue para a resposta deste sujeito. Ele, como sempre, na falta de argumentos, só sabe ser estúpido. Quem não tem inteligência apela para a ignorância.

Leave a Reply

Your email address will not be published.